Administração do tempo: uma escolha

Cada indivíduo tem objetivos e sonhos diferentes, mas algo em comum para muitos é o desejo de equilíbrio entre trabalho, família ou relacionamentos. Para muitos, a chave da constância entre as esferas de nossa vida é o tempo – principalmente a administração do tempo -, e administrá-lo é um desafio diário para quem busca o equilíbrio – e por que não, a felicidade.

A psicologia da administração do tempo é baseada, principalmente, no comportamento e escolhas. As pessoas só percebem que precisam se organizar quando veem que seus objetivos não estão sendo atingidos. Há o sentimento interno de insatisfação e o resultado das escolhas está aquém do desejado. Sempre que escolhemos determinada coisa, estamos abrindo mão de outra.

Muitas vezes nos enganamos escolhendo atividades que são mais prazerosas ou mais simples de serem executadas, deixando as que exigem um esforço maior e mais longo para depois, o que chamamos de procrastinação. Às vezes por medo, dúvida ou mesmo desgaste, a procrastinação é muito comum no ambiente profissional. Mas, os resultados desejados estão mais próximos das atividades mais difíceis do que as mais fáceis. Não saber elencar as prioridades de nossas atividades resulta, inevitavelmente no desequilíbrio e a falta de tempo.

O primeiro passo para mudar esta realidade é o desejo de mudança. O coeficiente comportamental é fundamental para um melhor resultado. Se eu desejo administrar bem o meu tempo e minhas ações, a responsabilidade é única e exclusivamente minha. O segundo passo é dedicar um tempo para organizar e pensar o real objetivo: importância, ganhos, perdas, possibilidade de execução e ações que irão trazer os resultados que eu desejo.

Mas como eu escolho minhas prioridades? Depende muito de meu objetivo. Pessoal ou profissional, devemos ter foco nas atividades que gerem conhecimento prático. Realizaremos as atividades de forma muito mais simples, econômica e rápida se estivermos preparados e organizados para executá-las.

A organização e o planejamento são o resultado de nossa inteligência e o conjunto de nossas experiências. O foco deve ser a organização de tarefa por tarefa, ação por ação. Toda ferramenta – agenda, planilhas, lista de tarefas, computador ou celular – que ajude no processo de escolha de prioridades e administração do tempo é bem vinda. Mas, o planejamento por si só não traz resultados, mas, sim, a ação.

Um passo importante para administrar melhor o nosso tempo é quando criamos um tempo para organizar a agenda pelas próximas horas. Organizar o tempo para ganhar tempo e, principalmente, priorizar atividades que tragam melhores resultados para os objetivos e não aquelas mais fáceis de fazer. O planejamento é essencial para exercitar a capacidade de medir o tempo, elencar tarefas importantes e encontrar as ferramentas adequadas para aperfeiçoar o tempo.

Crédito imagem: freedigitalphotos.net/1shots

Informações do Autor

Claudio Peixer

Ainda sem descrição

1 Comentário
  1. Gabriel

    1 de outubro de 2015 de 11:42

    Aproveitando o assunto, a quem interessar, um teste para identificar seu tipo de procrastinador:

    http://www.playbuzz.com/sidartal10/que-tipo-de-procrastinador-voc

    É baseado no livro de uma psicóloga chamada Linda Sapadin (“It’s About Time!: The Six Styles of Procrastination and How to Overcome Them”, Penguin Books, 1997).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *