Alpinista jaraguaense cancela expedição por causa de acidentes no local

O alpinista Hélio Fenrich, de Jaraguá do Sul, está retornando ao Brasil após ser obrigado a adiar a expedição que faria no monte Denali, no Alasca. A subida à montanha mais alta da América do Norte faz parte do ‘Projeto Sete Cumes’, porém, precisou ser cancelada por causa de recentes acidentes no local.

De acordo com Fenrich, desde o último dia 28, as escaladas em solitário estão proibidas pelas autoridades do parque. O alpinista partiu na noite quinta-feira, 27, e chegou ao Denali no domingo, 30, quando foi informado do cancelamento de todas as licenças expedidas para esse tipo de expedição. “As autorizações devem ser solicitadas 60 dias antes do embarque. Eu estava liberado, mas ocorreram acidentes nas últimas semanas e há um alpinista desaparecido, por isso, temporariamente, ninguém pode subir sozinho”, explicou.

Durante os últimos dias, ele tentou se juntar a grupos para manter a expedição. Porém, não teve sucesso. “A diferença é que quando se anda em grupo pelos glaciares todos seguem na mesma corda e, caso algum alpinista caia em uma fenda, o outro o puxa de volta. Em solitário isso não ocorre”, esclarece.

Com o imprevisto, Fenrich volta ao Brasil e segue em preparação para, na próxima temporada, realizar a subida no Denali. A montanha tem como desafios as fendas mais profundas do planeta, além de clima extremo, grande quantidade de neve acumulada no caminho e ventos que passam de 150 quilômetros por hora.

Desde que deu início ao ‘Projeto Sete Cumes’, em 2015, o alpinista já conquistou o Kilimanjaro, na África, o Elbrus, na Rússia, e o Aconcágua, na Argentina. Depois do Denali, ele pretende iniciar os treinamentos para enfrentar os desafios do Everest, no Nepal.

Sobre Hélio Fenrich

O alpinista Hélio Fenrich é radicado em Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina, e sua primeira escalada aconteceu na montanha Huayana Potosi, com 6.088 metros de altura, na Bolívia, no ano de 2008. Em 2021, ele pretende concluir o ‘Projeto Sete Cumes’ e, para isso, já chegou ao topo do famoso Aconcágua, na Argentina, do Elbrus, na Rússia, e do Kilimanjaro, na África. Ele conta com apoio do Grupo Raumak, da vendasshop.com.br e da Bull Terrier. No entanto, ainda busca patrocínio de marcas interessadas em firmar parcerias e, assim, vencer o desafio de conquistar as maiores montanhas no mundo.

Texto e imagem: Entrelinhas/Acervo Pessoal

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *