No mundo dos negócio, às vezes é preciso se fingir de surdo

Eu não desejo a ninguém ser surdo, mas, em relação aos negócios, várias vezes a melhor coisa a fazer é se fingir de surdo.

São previsões catastróficas, de que o Brasil e o mundo estão em recessão, que o crescimento será de apenas 2%, que o crédito será reduzido, bem como os investimentos.

É bom ouvir as previsões, mas não respeitá-las é melhor ainda. Cuidar de um negócio requer muito ceticismo, e não apenas análises, planejamento, reuniões intermináveis que quase sempre terminam sem decisões relevantes.

Às vezes é necessário ser como um paciente que se recusa a aceitar o diagnóstico do médico, que disse que, segundo os exames, ele tem seis meses de vida. A maioria das pessoas, infelizmente, aceita passivamente o diagnóstico, se esquecendo do poder da convicção positiva de que vai sair dessa melhor do que entrou. É essa convicção que gera o milagre, seja para se livrar de uma doença, ou de uma crise empresarial. Quem aceita a sentença vive menos. Quem foca na cura, surpreende a ciência.

Se você acreditar muito em previsões negativas, nem a Bíblia pode ler, porque senão tudo será um Apocalipse na sua vida.

Quem administra uma empresa, cuida de um segmento de mercado, tem de manter uma descrença das previsões. Sabe por que? Por que enquanto os especialistas, cientistas estão dizendo que a coisa está feia, sempre tem alguém aproveitando as oportunidades.

Enquanto as previsões apontam um crescimento de 2, 3%, há empresas crescendo 40% ao ano. Enquanto a média salarial é de menos de 2 mil reais, há pessoas fazendo fortuna treinando quem ganha menos de dois mil reais, a aprenderam como ganhar mais de dois mil reais.

Eu sempre costumo me fingir de surdo quando as previsões são negativas, seja nos negócios ou na vida pessoal. Sei que enquanto alguém está discursando na tv que mais de 50% das empresas fecham em menos de dois anos, há os outros 50% que superaram essa fase, e que estão ficando ricos, e uma das razões é o fato de serem céticos a previsões negativas. Eles focam em empresas que passam de dois anos, vão se aconselhar com quem superou essa fase, em vez de focarem e contratarem gente quebrada para dar conselhos.

Certa vez um senhor do interior, com uma pequena mercearia, ia muito bem com seus negócios há mais de vinte anos. O sonho daquele senhor era formar o filho numa faculdade, e conseguiu. Às custas do seu esforço, da venda de frutas, verduras, mel, leite, etc., pagou a faculdade e a estadia do filho na cidade grande. Logo que terminou a faculdade, o menino começou a prestar atenção às notícias na TV, de que o país entraria numa série de problemas econômicos, e era melhor os empresários começarem a cortar custos, reduzir gastos, porque a crise seria séria. Imediatamente ele ligou para seu pai, avisando sobre o fato. Seu pai cortou a verba de propaganda, e demitiu dois funcionários, e ligou para o filho para saber quais eram as novidades. O filho informou ao pai que ele deveria cortar ainda mais gastos, porque tudo estava piorando. O pai então reduziu o mix de produtos, e não oferecia mais nem sacolinhas para os clientes levaram as mercadorias. Ligou novamente para o filho, pois estava profundamente assustado com a gravidade da situação. Infelizmente o filho avisou que ele deveria dar um corte gigante nos gastos, senão, teria maiores problemas. O pai demite quase que todos os colaboradores, ficando apenas com um funcionário, reduziu o tamanho da mercearia, e ficou apenas com cinco ou seis itens na loja. Passados seis meses, a empresa quebrou, e o pai liga para o filho e diz: “filho, você tinha razão, nossa loja quebrou, estamos falidos. Quem parece não ter sido atingido foi o Pedro, aqui da barraca da frente, que aumentou a loja, contratou meus colaboradores, e vende tudo o que eu não vendo mais”. E o filho responde: “que pena pai, acabei de ouvir que todas aquelas notícias eram apenas boatos”.

Fique surdo às previsões. Viver é confirmar convicções, sejam positivas ou negativas.

Você tem mais chances de ter sucesso como empresário, gerente, administrador, se em vez de ouvir notícias negativas, mantiver sua convicção mental de que as coisas dão certo para quem trabalha firme, com Inteligência, aproveitando oportunidades enquanto todo mundo está diminuindo o mix, cortando funcionários e as sacolinhas.

Sabe porque é que as formigas nunca desistem, e carregam pesos infinitamente maiores do que o próprio peso? Por que elas não escutam previsões. Elas simplesmente trabalham.

Se você quer ter sucesso na sua empresa, na sua administração, por vezes será bem melhor fechar os ouvidos à toda espécie de negatividade e previsões catastróficas que estão anunciando, e simplesmente carregar mais peso do que sequer imagina que pode.

 

Grande abraço, fique com Deus, sucesso e felicidades sempre!

Paulo Sérgio Buhrer

www.professorpaulosergio.com.br

 Crédito imagem: http://www.freedigitalphotos.net/stockimages

Informações do Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *