Atravessando a fronteira: o que é, afinal, capacidade?

O ser capaz mora perto da necessidade”, Pitágoras. É comum na vida corporativa gerarmos distinção entre pessoas pela sua capacidade, mas a pergunta é o que vem a ser capacidade?
Segundo o dicionário, capacidade é a qualidade de quem é apto a fazer determinada coisa, a compreendê-la e tem como sinônimos, aptidão, faculdade, habilidade, inteligência, talento, valor…
Todos nós somos aptos a fazer determinada coisa, portanto competentes ou capazes para fazermos nossa “determinada coisa”. Parece então que o importante é a “tal coisa”, pois dependemos dela para nos destacarmos.
Temos que colaborar com o acaso, cabe a nós angariarmos conhecimento acerca de tudo que fazemos, criando um banco informal de dados que poderá em um momento único proporcionar-nos a necessária diferença e assim nos tornar competentes perante outros.
A necessidade ocorre em todas as áreas de uma corporação o senso de observação, a pró-atividade, a inteligência emocional e principalmente a construção da maturidade serão pontos fundamentais para nos proporcionar destaque no ambiente de trabalho.
Na busca do destaque dentro de uma organização é imperativo que sejamos muito bons em alguma coisa e adequados nas coisas restantes. Adequados pode querer dizer, “ficarmos longe”. Nossa competência é a média, abstrata, obtida a partir de todas as nossas ações na corporação.
A dica é descubra seu talento efetivo, em qual atividade você faz diferença e ela será seu ponto de partida. Consolidada essa posição invista nas atividades que tem aderência a sua e verá que é muito fácil expandir seu campo de competências e desta forma elevar sua média.
Cabe salientar que é preciso tato e muito senso de observação ao buscar a expansão de suas competências, pois poderá esbarrar em território restrito de outro e isso poderá não ser bem visto. O segredo sempre é procurar ser convidado a participar e não “invadir” na expectativa de ajudar…
Mostrar-se disponível é uma maneira de expandir, de ser convidado, e poder estar próximo da necessidade, que é de fato a grande geradora de competência onde podemos demonstrar o quanto somos capazes.
Sob outra ótica, não menos importante, lembremo-nos que o mundo corporativo é constituído por pessoas e assim nosso comportamento usual, fora do contexto específico do trabalho, mas no ambiente onde este ocorre, é determinante também na construção de nossa capacidade presumida.
A capacidade de gestão é a base do crescimento dentro de uma organização e é fruto de quão assertivo somos em nosso dia a dia, o quanto outros referem-se a nós falando do que fazemos e como contribuímos para a entrega.
Essa referência propicia a construção de uma imagem de liderança que via de regra em uma organização está ligado a conhecimento e relacionamento e não a uma dialética apurada sem a contrapartida da entrega.
Portanto olhe a sua volta, veja como romper fronteiras respeitando as regras do relacionamento e da gestão.
Faça a diferença, construa capacidade, gere competências É muito mais fácil do que você imagina.

Crédito imagem: freedigitalphoto.net

Informações do Autor

Edgard Falcao

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *