A onda do delicioso naked cake e a beleza da simplicidade

Os programas de televisão e os vídeos do youtube têm trazido à nossa memória muitas brincadeiras do passado que promovem simplicidade, saúde e aprendizado. Não era preciso muito dinheiro e faziam bem para as crianças. Hoje, virou febre as lojas que vendem bolos caseiros sem recheios, sem coberturas, simplesmente como os da nossa avó – o chamado naked cake.

Nos tempos modernos, a gente vê tanta tecnologia, tantos avanços da medicina que são surpreendentes.  As redes sociais são assustadoramente encantadoras e os contatos virtuais operam com uma rapidez gigante. Ninguém fica sem informação. Elas aparecem como enxurrada diante dos nossos olhos. A vida ficou mais pratica e eu particularmente adoro isso.

O fato é que estamos nos perdendo em algumas áreas vitais da vida humana. Uma delas são os relacionamentos interpessoais.

Fico impressionada, com algumas situações do dia a dia como entrar em um elevador  cheio de pessoas estranhas. Na grande maioria das vezes, nós não somos capazes de quebrar a tensão com um simples bom dia!

Gestos simples podem mudar nosso estado mental e nos preparar para os desafios do dia. Esta decisão é pessoal.

Recentemente, recebi um telefonema de um primo. Ele me perguntou meio sem jeito, se eu estava bem e se eu estava perto de sua casa. Sem entender, respondi que estava bem e que eu estava em minha casa. Ele, parecendo aliviado me contou que viu uma pessoa muito parecida comigo e com o carro igual ao meu. Achou estranho o fato de eu não ter cumprimentado e ignorado sua presença. Rapidamente, ele achou que eu estava chateada com ele e resolveu me ligar para esclarecer a situação. Felizmente um simples telefonema resolveu tudo.

Não são raros, os maus entendidos e a má interpretação de certas situações, gestos ou palavras. Podemos salvar nossa mente de sofrimentos desnecessários nos dispondo a buscar a verdade na fonte certa.

Quando algo parece não se encaixar, é fácil a nossa mente complicar e muito a nossa vida. Cabe a nós,  tomarmos a decisão de buscar  tranquilidade para nossa alma.

A simplicidade tem uma beleza que é preciso buscar com atenção. Não é algo que é visto imediatamente. Talvez tenhamos que ensinar nossas filhas a viverem mais a carinha limpa que Deus deu a elas. Afinal, as meninas são naturalmente lindas!  Aos nossos filhos, que não se preocupem  tanto com a roupa de marca, porque liberdade de comprar o que se gosta e o que se quer são para poucos no mundo consumista em que vivemos.

Na era das facilidades para comprar tudo o que se deseja e das tentações que os shoppings nos oferecem, talvez seja hora de nós pais começarmos a resgatar o picnic em família com a antiga toalha xadrez e a cesta de vime. As refeições ao redor da mesa foram substituídas pela TV mais moderna da loja com suas cores de alta resolução. Que tal desligar por um momento?

O resgate do que é simples não é um saudosismo barato. Vejo que hoje em tempos tão modernos  é uma questão de qualidade de vida.

A gente precisa voltar a falar mais, as palavras simples que valem muito. “Obrigada”, “com licença”, “por favor”, “me perdoa”, “sinto muito” e “eu te amo”. Palavras poderosas que nunca saem de moda. Elas não perderam seu valor com a evolução dos tempos, só estão cada vez mais escassas porque estamos  deixando de pratica-las.

Nesse mundo cheio de descobertas maravilhosas, ainda tem lugar para a simplicidade da vida. E no mundo das relações humanas, eu fico com a  celebre frase. Menos é mais.

Informações do Autor

Gisa Viana

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *