Série Patrimônio Histórico: conheça a importância da Casa Horst

A quarta reportagem da série sobre a importância da preservação da memória por meio de imóveis tombados ou de interesse de preservação, com o auxílio do setor de Patrimônio Histórico da Fundação Cultural de Jaraguá do Sul, destaca a Casa Horst, localizada na Rua Padre Francken e tombada pelo de 8.492/2012. Trata-se de um dos imóveis que personificam a vontade de preservação. A cidade conta com 91 tombamentos que incluem imóveis, árvores, pontes, escolas, igrejas e um núcleo rural. É uma forma de preservar não somente características arquitetônicas e modelos construtivos, mas hábitos e história.

casa horst detalheO imóvel foi contemplado com apoio financeiro de R$ 39.942,64 no edital 02/2012, de atividades de promoção cultural, com recursos oriundos do Fundo Municipal de Cultura (FMC) e também do proprietário. A Casa Horst tem construção teuto-brasileira singela, mas integrante do conjunto edificado que identifica a cidade, participa da formação da paisagem do centro por seu telhado com tacaniça, isto é, parte do telhado que cobre ou abriga o lado frontal e posterior da construção, revestimento, alinhamento, escala e aberturas características. Mereceu ter sua volumetria protegida por ser típica e guardar traços da imigração.

Imóvel construído em alvenaria autoportante, possui térreo e sótão alteado. A cobertura desenvolve-se em duas águas, com tacaniça voltada para a rua. A planta retangular e a solução de fachada é dada pela presença de dois arremates similares a cunhais, cimalha marcando a divisão entre os pisos. Há esquadrias dotadas de bandeiras e vidraças de caixilharia trabalhada. O acesso é lateral, reservando-se para a fachada uma janela e duas portas, encimadas por três pequenas aberturas no frontão.

casa horst detalhe 2Benefícios – Pela lei 1854/94, edificações típicas ou de valor histórico podem sofrer processo de tombamento compulsório, quando é de interesse da comunidade; ou voluntário, solicitado pelo proprietário. Uma vez tombado, o imóvel continua sendo dos proprietários, não se alterando o direito de propriedade, podendo ser vendido, alugado ou cedido, desde que não alteradas as suas características físicas. Outra vantagem é a possibilidade de participação de editais para obter recursos para sua restauração e manutenção, seguindo critérios de preservação do estilo arquitetônico original. Outro aspecto econômico importante é a isenção tributária municipal sobre o imóvel. O tombamento também não é algo imutável, como acreditam muitas pessoas. (Com auxílio do setor de Patrimônio Histórico da Fundação Cultural de Jaraguá do Sul).

Mais informações sobre o assunto em http://www.jaraguadosul.sc.gov.br/downloads.php?id=16782
e em http://patrimonioculturaldejaraguadosul.blogspot.com.br
Imagens e texto: Assessoria/Acervo Prefeitura/Fundação Cultural

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *