Homens e mulheres: passou da hora de fazer uma parceria

Homens e mulheres. Mulheres são mesmo especiais.  São multitarefas e conseguem ainda ter energia em estoque. Como se não bastasse tanto trabalho para cuidar de uma casa, ser mãe, ser esposa, amante, filha, amiga, ainda lutam para ser reconhecidas no mercado de trabalho. Para as mulheres do século XXI,  trabalhar não está associado somente à independência financeira, mas também ao prazer de produzir e de contribuir com suas habilidades e ser respeitadas por elas. Segundo levantamento da Catho, realizado com mais de 200 mil empresas, profissionais do sexo feminino representam 23,85% dos cargos mais elevados (presidentes e CEOs), sendo que eram apenas um pouco mais de 10% há 15 anos. Esse é um bom numero e mostra bem o destaque que as mulheres vêm alcançando na área profissional.

Como mulher,  me incluo neste cenário de mudanças e vejo que existe um vasto material de pesquisas,  artigos e estudos  mostrando as variações no comportamento da mulher deste século. Ainda há uma observação importante que devemos considerar. Sobre a ânsia em conquistar nosso espaço no meio corporativo, como autônoma ou empresaria, existe um perigo eminente, que ronda a vida da mulher contemporânea. Ele é o extremismo. Problemas como: abandono dos sonhos em detrimento da carreira, descuido da  saúde, mulheres em cargos de liderança que são consideradas terríveis para se trabalhar e  mulheres que não lidam bem com a liderança masculina estão em relevo. Esses são alguns dos motivos pelos quais precisamos reavaliar sobre o que queremos de fato para nós. A que preço?

Para provar nossa competência, não é preciso ferir nossas mais ricas características. Não podemos correr o risco de nós (que irônico)  desvalorizarmos  a nossa sensibilidade,  a nossa feminilidade. Se fizermos isso, podemos correr o risco de cometermos violência contra nós mesmas. (que irônico). Não parece contraditório, queremos respeito e não respeitar nossa essência?

Não precisamos ser “mulher macho”. Ser  mulher  é o bastante para aquilo que queremos SER e TER. A palavra mulher já carrega em si, força, determinação, inteligência , garra, competência e mistério. Por que mistério? Porque por mais que conheçamos nossas competências, ainda seremos surpreendidas e surpreenderemos pessoas, quando o assunto for desafio (no melhor sentido da palavra) inovação, quebra de paradigmas e visão sistêmica. E isso não se aplica somente ao trabalho, estende-se para as relações interpessoais,  a vida amorosa, finanças, espiritualidade,  física e nossas emoções. Quando entramos num estado de desequilíbrio, adentramos em um ambiente perigoso que nos levam a nos comportar de maneira distorcida, a pensar de forma incoerente e as palavras entram em total desarmonia. Pensamentos, palavras e ações devem ficar alinhadas e isso não é tarefa fácil, mas é vital.

É cansativa a vida de uma mulher que vive para provar que é melhor do que o homem. É insignificante o homem, que aposta na possibilidade de uma  mulher não realizar um trabalho expressivo. Essa disputa é infantil e não serve mais para nós (homens e mulheres) que queremos construir um Brasil rico, poderoso e respeitado para as próximas gerações.

A independência dos gêneros é nociva. Este abismo dá vazão a uma competição predatória que traz  prejuízos reais e visíveis.

Queremos ter progresso? Então é preciso exercitar  a interdependência. Somente ela vai nos levar a um patamar de respeito mutuo de admiração e de coesão.

Como resolver esse impasse? A solução é simples. Precisamos parar de competir, é preciso fazer boas parcerias. A flexibilidade, o respeito e a humildade são ingredientes essenciais para esta composição  dar certo.

Portanto, chego a conclusão de  que não dá para abrirmos mão do sutiã. Ele, é um símbolo de nossa feminilidade e também da nossa força. Só usa quem tem peito.

Crédito foto: freedigitalphotos.net/num_skyman

Informações do Autor

Gisa Viana

Ainda sem descrição

1 Comentário
  1. Pingback: Mulher: conquistas e desafios no século XXI - Revista Atitude - Atitude Empreendedora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *