O Círculo Dourado: a regra de ouro para engajar e influenciar pessoas

Tempos atrás assisti um vídeo muito conhecido entre os estudantes e professores de administração. Trata-se do “The Golden Circle (Círculo dourado)” do escritor inglês Simon Sinek.

O escritor e palestrante defende a ideia de que existe um padrão de pensamento, ação e comunicação nos grandes líderes e organizações inovadoras, como Luther King e Apple. Ele explicou visualmente essa sua constatação como um conjunto de três círculos concêntricos, um dentro do outro, onde o núcleo é “Por que”, o círculo intermediário é o “Como” e o externo é o “O que”.

Segundo ele os grandes líderes, vendedores de alta performance e empresas inovadoras se comunicam “de dentro para fora” do Círculo Dourado: Mostram primeiramente as razões, para depois dizerem como e o que fazem. Em outras palavras, o foco da comunicação e mobilização está no “Por que”.

E aí que entram as perguntas que precisamos responder: Por que sua empresa existe? Por que você vende o que vende? O que faz você levantar da cama todas as manhãs?

Quando a empresa ou líder consegue influenciar as pessoas a encontrarem, entenderem e valorizarem essas respostas, todos estarão seguindo uma “causa”, o que tem muito mais força e impacto.

Daí uma conclusão que já venho falando a muito tempo e que tem sido tema de vários escritores e palestrantes: O poder de um propósito.

Quando encontramos um “Por que” para nossas ações, e até mesmo para nossa existência, teremos mais motivação e consistência de nossas atitudes. Essa é uma constatação extremamente simples, porém muito poderosa. Pense bem: Se seguimos percorrendo por um caminho, conscientes do que encontraremos em seu final e esse objetivo tem valor para nós, certamente caminharemos com mais dedicação, mesmo se encontrarmos algumas barreiras e desafios. Por outro lado, quando seguimos a mesma estrada sem saber as razões, o que aconteceria se encontrássemos um obstáculo? Certamente desistiríamos.

Isso vale para um funcionário de uma empresa que precisa dedicar-se a um projeto, para um jovem que tem uma carreira a ser construída ou para qualquer pessoa que tem objetivos a serem perseguidos: Se não temos clareza de um propósito os esforços para sua realização serão menores.

Nietzsche, filósofo alemão do século XIX, escreveu: “Quem tem um porquê de viver, supera o como viver”. Assim, as razões precisam vir antes das ações.

O líder, antes de determinar as tarefas, deve dedicar tempo para mobilizar pelos motivos. A empresa deve inspirar as pessoas por uma causa, e não apenas convencê-las a comprar seus produtos. E nós? Devemos ter a clareza dos nossos propósitos!

Qual a sua missão de vida? Quais os valores quer viver? Que legado quer deixar? Qual resultado quer alcançar?

Pense cuidadosamente nos seus objetivos. Muitas pessoas passam a vida inteira perseguindo uma meta sem sentido, insatisfatória ou destrutiva, ou então vivem sem saber o que querem e por que querem, apenas sobrevivendo ou reagindo às condições e situações.

Como diz Sinek, o “O que” e o “Como” devem ser consequências do “Por que”. Então, quais são seus propósitos?

Texto publicado originalmente AQUI

Imagem: sabin paul croce

Informações do Autor

Marcelo de Elias

Palestrante, professor e escritor especialista em mudanças e em gestão de pessoas. Suas palestras estão entre as mais bem avaliadas do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recursos Humanos

As falácias dos homens

Homens forjados no calor da batalha, programados para vencer hoje vivem escondidos em sua falácias, e passar por qualquer intempéries da vida estão vivendo uma linha muito

mais   488