COMO TRABALHA UM TERAPEUTA TÂNTRICO?

Esse texto que apresenta aqui resume bem a visão que tinha quando comecei meus trabalhos como Terapeuta Tântrico no Centro Metamorfose em 2014. De lá pra cá muita coisa mudou, mas muito ainda permanece atual.

O papel do terapeuta tântrico deve ser o de reprogramar conceitos, quebrar paradigmas e limpar seu corpo dos condicionamentos que ele tem a respeito dos estímulos que recebe. E isso não se faz com uma relação sexual, mas com técnicas que, ao serem aplicadas, alteram a bioquímica e a percepção que temos do nosso corpo. Fique muito atento quando questionar um profissional sobre tantra e tudo o que ele souber dizer for a respeito de massagem. Existe Terapeuta e Massagista.

O terapeuta tântrico vai trabalhar com a sua sexualidade, não com sexo. Para isso, o Tantra apresenta uma série de recursos que foram sistematizados nessa terapia. Uma dessas ferramentas são as meditações. Elas ajudam a dissolver o que as emoções ruins, repressões e outras experiências criam no nosso corpo, tornando-o mais leve e limpando-o das somatizações que esses sentimentos desagradáveis podem causar. Além disso, essas meditações trabalham a produção hormonal de diversas glândulas, gerando descargas de serotonina, oxitocina e outros hormônios ligados ao prazer e à alegria.

Outro trabalho desenvolvido por esse terapeuta é a massagem tântrica. Ela tem propósitos diferentes de uma massagem convencional: sua função é trazer novas sensações e ressignificar o prazer sentido pelo corpo. Ou seja, ela não tem a função de propiciar prazer, embora o prazer muitas vezes seja a consequência da massagem.

Em uma primeira etapa, a massagem tântrica busca espalhar a sensação orgástica por todo organismo, encadeando nesse processo agrupamentos musculares nunca antes utilizados no orgasmo. Sim, é possível sentir o orgasmo em músculos do corpo todo, não apenas nos genitais. Esse encadeamento ajuda a intensificar, prolongar e expandir o efeito terapêutico do orgasmo. A partir daí a massagem pode ser usada para tonificar e fortalecer os músculos genitais, possibilitando que sustentem níveis maiores de bioenergia. Um dos principais motivos das relações durarem tão pouco, ou gerarem orgasmos sem intensidade, são os músculos sexuais hipotônicos. Assim como um atleta precisa preparar seu corpo e sua musculatura para aguentar um maior nível de exigência, os músculos vaginais e penianos também precisam de tonificação para sustentarem mais energia, provocando orgasmos muito mais intensos.

Esse desenvolvimento tem se mostrado muito útil no tratamento de várias disfunções sexuais, tanto masculinas como femininas – anorgasmia, problemas de ereção, ejaculação precoce, dispareunia, entre outros. Não apenas isso, a prática dessa terapêutica – por mexer com a bioquímica do cérebro, produção hormonal e outros aspectos da sensibilidade – pode levar a pessoa a outros estados de consciência, ou seja, apresenta caráter meditativo.

Todo esse processo acaba por alterar a maneira como você encara sua sexualidade. Ele tira o foco do orgasmo psicogênico – aquele no qual precisamos usar a mente e suas fantasias – e reativa o centro sexual original do nosso corpo, localizado na base da nossa coluna, justamente na área onde se encontra o Chakra Swadhisthana. Uma jornada que nos tira dos pensamentos e artifícios da mente e nos leva às sensações do corpo.



                                                                                                               Publicidade

Informações do Autor

Sangito Deva

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *