Doutores Sementinhas: Cores e brincadeiras que aquecem o coração

“Seu senso de humor é uma das ferramentas mais poderosas que você tem para se certificar de que seu humor e seu estado emocional diários dão suporte à boa saúde”, diz Paul E. McGhee, atual presidente da The Laughter Remedy (O Remédio do Riso, em tradução livre), de Wilmington, Delaware, EUA. E a ciência concorda: várias pesquisas, em diversas partes do mundo, já confirmaram que o bom humor e a positividade fazem uma diferença essencial no tratamento e recuperação de qualquer tipo de doença. Imagine, então, quando esse riso vem acompanhado de amor? Essa é a nobre causa dos Doutores Sementinhas, um grupo jaraguaense que surgiu na Igreja Assembleia de Deus como ministério, há 8 anos, mas que hoje é aberto à toda a comunidade e já possui cerca de 30 integrantes, entre 18 e 40 anos. Atualmente, o grupo se reveza para atender a ala pediátrica do Hospital Jaraguá semanalmente, o Abrigo Valdir Moroso, de Guaramirim, duas vezes por mês, e o Procad, Abrigo de Jaraguá, uma vez ao mês – todas as visitas, aos domingos de manhã. Para viabilizar os atendimentos, o grupo tem uma autorização especial através de uma parceria com as instituições, e todos os integrantes passaram por um treinamento antes de começar o trabalho.

Quer entender melhor como o Doutores Sementinhas funciona e como você pode ajudar? Confira a entrevista da Dom7 com Jennifer Karoline Modes, uma das coordenadoras do grupo.

doutores sementinhas 2

Dom7 – Qual é a importância de um trabalho como esse?

JM – A importância do trabalho é tão grande para os locais que atendemos e as crianças quanto para nós. Ele muda a vida, une pessoas, ele ensina a todos nos aspectos emocional, espiritual e físico. Emocional pois muitas vezes as pessoas que atendemos (aí entram principalmente os pacientes adultos e pais), precisam apenas de alguém para conversar e se abrir naquele momento. Espiritual pois sempre nos baseamos na palavra de Deus e nos Seus ensinamentos. E físico, pois estando as duas coisas citadas acima alinhadas, a pessoa começa a se sentir fisicamente melhor.

 

Dom7 – Em sua opinião, o cultivo de boas energias e da positividade têm o poder de auxiliar na cura de doenças?

JM – Sim, só chamamos por outro nome: FÉ. Acreditamos que quando almejamos algo e temos fé que aquilo vai acontecer, a probabilidade de acontecer realmente aumenta de uma forma extraordinária! Temos que sim, ser realistas, principalmente nós que trabalhamos diretamente com crianças internadas no hospital e que se encontram nos abrigos, sem dar falsas esperanças, mas também nunca deixamos que eles acreditem ser menos do que realmente pode ser.

 

Dom7 – Existem restrições ou cuidados especiais para a realização do trabalho?

JM – Existem tipos diferentes de restrições, no abrigo são as regras do local que seguimos como qualquer pessoa que tem contato com as crianças.

Já as restrições do Hospital são várias, como: lavar as mãos com frequência, lavar nossas roupas de palhaço separadas das demais, esterilizar os materiais que levamos aos quartos, não ter muito contato físico com os pacientes (fazemos isso para não levar algum vírus de um quarto ao outro). Se qualquer membro que está escalado para ir ao hospital no domingo começar a apresentar sintomas de gripe, resfriado, virose ou semelhante um dia antes, automaticamente está fora do plantão, para não levar para dentro do hospital mais um vírus… Enfim, são inúmeros os cuidados que temos para não propagar nada além do amor, o bem e a alegria.

 

doutores sementinhas 3Dom7 – Como funcionam as visitas do Doutor Palhaço?

JM – Fazemos intervenções nos quartos do hospital e nos abrigos usando como instrumento para as intervenções: histórias, músicas, fantoches, balões, mágicas, dinâmicas, gincanas, etc. Tudo é usado com um propósito: tirar um pouco as crianças do universo em que se encontram no momento e ensiná-las a serem seres humanos melhores. Assim, sempre levamos tudo isso, mas trabalhando princípios e ensinamentos que elas levarão por toda a vida.

 

Dom7 – Como participar?

Jennifer Modes – A única coisa que exigimos para entrar no grupo é que a pessoa tenha atingido a maioridade. Para entrar no grupo a pessoa deve fazer uma inscrição e entramos em contato quando o grupo abre para novos voluntários (sempre uma vez ao ano).

 

Dom7 – De que outras formas é possível apoiar?

JM – Recebemos doações de balões, brinquedinhos (aqueles de R$ 1,99 – anéis, pulseirinhas, carrinhos, florzinhas, peão), bomba para encher balões, materiais de papelaria (e.v.a, cola quente, tinta guache, giz, lápis de cor, papel colorido), livros de histórias infantis e de colorir, fantoches e qualquer valor em dinheiro.

 

Acompanhe o trabalho dos Doutores Sementinhas pelo Facebook: /doutoressementinhas
Imagens: Débora Cunha

 

 

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *