A história da educação e o que isso tem a ver com seu filho

Todos constatam as mudanças que vêm acontecendo na consciência e identidade dos professores, e de todo o conjunto que faz parte do sistema de educação.

Diante dessa realidade, o sistema escolar avança no sentido de dar continuidade ao desenvolvimento do indivíduo, por meio de todas as concepções que norteiam o processo educativo.

Dentro desse contexto, o papel da escola é buscar alternativas de soluções imediatas para que no dia a dia em sala de aula a relação entre professor e aluno, o hábito pela leitura e da escrita, bem como o diálogo, o compartilhamento de ideias e saberes, além dos princípios e valores que regem o convívio social, não sejam descartadas nem substituídas pelas novas tecnologias que se aplicam aos princípios didáticos e às práticas pedagógicas.

Nesse sentido, a mediação pedagógica torna-se necessária afim de superar desafios que competem aos professores, em equilibrarem o uso dos recursos digitais, focando na aprendizagem significativa do educando. Porém, antes disso, é preciso entender que a origem desse fenômeno e de tantos outros que influenciam no âmbito educacional.
Ao entendermos o desenvolvimento do pensamento educacional e a contribuição que este trouxe para o corpo social, veremos que a educação contemporânea herdou características de outras.

Partindo desse pressuposto, convém entendimento de que as pesquisas realizadas nesse campo de estudo são importantes e necessários para melhor compreendermos os acontecimentos, causas e fatos sociais em todos os ambientes e aspectos.

Entre tantos, acontecimentos que fazem da história manter uma relação estreita com a educação. Cabe ser destacado o movimento iluminista, uma vez que foi a partir desse período e das ideias dos grandes pensadores do século XVIII, que os problemas sociais começaram a surgir, sobretudo na economia, quando o capitalismo estava eclodindo.

Foi a partir do século das luzes que o mundo começou a se planejar, e no cenário educacional o mundo atual continua sendo o reflexo dos pensamentos iluministas, visto que as mudanças ocorridas no século XVIII, até a contemporaneidade, na concepção de especialistas e estudiosos o método de ensino tradicional faz parte do cotidiano dos educadores e dos educandos.

Nas instituições de ensino no Brasil, por exemplo, é comum quando o aluno desrespeita alguma regra escolar ou apresentar um mal comportamento ser suspenso. A aplicação dessa prática pela escola, no entendimento de poucos, tem origem do modelo educacional do século das luzes. Além disso, o Brasil só passa a existir como nação quando a educação foi democratizada – ou seja, quando a máquina fez-se de elemento central, responsável pela transformação da educação.

Desmistificando o século das trevas e a organização do pensamento educacional na idade média. Já que, na pedagogia humanista, as crianças eram tratadas como seres humanos adultos e tinha como consequências as agressões físicas e uma educação voltada para o ensino religioso e capitalista.

Torna-se ainda mais clara e concisa a importância da intervenção do Iluminismo na educação, feita no século XVIII, que resulta até os nossos dias atuais, neste último exemplo, onde consiste ressaltar os conflitos políticos e religiosos na modernidade, provindas das propostas e ideias iluministas, assim como o domínio que a ciência tem na atualidade sobre a educação. Portanto, ao considerarmos a evolução cultural da humanidade, notamos que a mesma está acompanhada de seu contexto histórico, e o estudo desse contexto nos fornece uma avalanche de informações, riquezas e detalhes que são responsáveis para melhor interpretamos a nossa vida, o cotidiano e o mundo.

Imagem: YishunJuniorCollegePhotos

Informações do Autor

José Domingos

Acadêmico do curso de Letras-Português e Francês da UFS, è bolsista do PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica). No universo corporativo atuou em vendas e em relações administrativas. Hoje, prefere ver o mundo através das páginas. À frente do projeto Cine Qua Non, desenvolve trabalhos voluntários nas áreas de literatura , artes e comunicação .É corretor de redação do portal Imaginie e também colunista no Portal Sucesso Jovem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *