Ei, Diretor, cadê o seu supervisor? Saiba para quê ele serve

Toda vez que ministro o curso sobre gerenciamento da rotina para supervisores, percebo que vários participantes se surpreendem ao saberem que dentro de suas empresas não existe a “função” de supervisor.

Muitos enxergam o supervisor como sendo aquele que dá ordens, aquele que possui o crachá descrito supervisor e todo o seu poder se resume apenas a esta autoridade. Infelizmente isso é fato em várias empresas!

Muitos confundem cargo como sendo função e vice versa. Cargo é a posição ocupada na hierarquia da empresa e função é o conjunto de responsabilidades e tarefas que estão relacionadas com esse cargo. A pessoa pode ter um cargo e exercer várias funções.

Toda empresa possui duas categorias de funções:

  1.                              I.        Gerenciais: Função Direção e Função Gerência;
  2.                             II.        Operacionais: Função Supervisão e Função Operação.

Uma empresa com foco organizacional, com um grau de maturidade de gestão avançado, é notório o correto funcionamento das funções gerenciais e operacionais ao longo de seus processos.

Em se tratando de Função Supervisão, podemos dizer resumidamente que o supervisor tem três papéis em seu trabalho:

  1. Treinar e verificar se a função operação está executando suas atividades conforme os procedimentos operacionais, ou seja, se os operadores estão trabalhando conforme os padrões pré-estabelecidos pela empresa;
  2. Conduzir o tratamento de anomalias, que é tudo aquilo que se desvia de um padrão de normalidade, ou seja, resolver problemas decorrentes nos processos;
  3. Ajudar o Gerente a resolver os problemas da gerência.

O que mais tenho presenciado dentro de empresas que me procuram, é encontrar supervisores fazendo tarefas de operadores. Deixam de cumprir os três papeis citados acima para executar tarefas de operadores, o que é um desperdício para a empresa e para a própria vida profissional do Supervisor. E muitos fazem isso por desconhecer seu próprio papel.

Agora, se sua empresa não possui padrões pré-estabelecidos, como procedimento operacional, instrução de trabalho ou qualquer outro documento padrão formalizado de processos e não há tratamento de anomalias, a função supervisão é inexistente.

Pode até ter pessoa(s) com o cargo de supervisão (encarregado, chefe, líder, etc), mas na realidade é apenas mais um operador de tarefas executando funções operacionais ou até mesmo podendo não estar executando nada.

O problema é que 90% das pessoas de uma empresa consomem a maioria de seu tempo na função operação e muitos estão à mercê, sem liderança e supervisão que realmente pratiquem os seus devidos papéis.

Por acaso você tem um chefe, um líder ou supervisor que não exerce função supervisão? Pense nisso!

Crédito foto: freedigitalphotos.net/sixninepixels

Informações do Autor

Renato Chaves

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *