Entenda por que espiritualidade tem tudo a ver com liderança

O que é espiritualidade? Para Dalai Lama, a resposta é simples: “Espiritualidade é aquilo que produz no ser humano uma mudança interior”. (Leonardo Boff)

As circunstâncias atuais demonstram que um bom líder necessita manter-se atualizado para assegurar o sucesso da sua liderança. Isso devido ao mercado de trabalho cada vez mais dinâmico e competitivo. Não se concebe mais a ideia de estagnação, fator que exige com que as empresas se adaptem às transformações, para que possam alcançar as metas estabelecidas. O líder tem um papel de destaque neste contexto, uma vez que é agente disseminador de informação e também formador de opinião.É notório que o ser humano precisa adaptar-se às mudanças, que muitas vezes são inevitáveis. Mas como fazer isso, sem causar um impacto profundo e negativo? Essa não é uma tarefa fácil, visto compreendermos que toda mudança traz consigo medo e instabilidade. Partindo deste pressuposto, percebemos a importância da espiritualidade na vida de um líder, já que concordamos com o Dalai Lama:  “Espiritualidade é aquilo que produz no ser humano uma mudança interior”.

Desde quando a espiritualidade passou a ser importante no processo de liderança? A partir do momento em que o líder passou a compreender a importância da Cultura Organizacional. Que nada mais é do que um conjunto de hábitos, tradições, rotinas e crenças baseadas nos valores, atitudes e expectativas que gerenciam a interação dos elementos de uma empresa. São normas informais que influenciam no comportamento de todos os indivíduos, impactando diretamente no cotidiano empresarial. Todo líder deve preocupar-se em manter uma relação sadia, leal e construtiva com a sua equipe. Discórdia, conflitos, falta de comunicação e resistência, comprometem o sucesso de uma organização. O que nos faz entender que Espiritualidade e Cultura Organizacional, estão interligadas.

Apesar da discriminação, os eventos ligados ao tema espiritualidade, que sempre foram tratados com exclusividade na esfera pessoal, começam a permear o universo corporativo. Paulatinamente, a espiritualidade deixa de ser tabu, e passa a ser algo presente na vida de alguns líderes.  De antemão precisamos deixar claro que a espiritualidade nas empresas não tem haver com religião, igreja, dogmas ou ideologias. Trata apenas da elevação dos “valores humanos”.

“Espiritualidade corporativa não, necessariamente, relaciona-se com religião, mas com valores como, por exemplo, a ética, a compaixão, o altruísmo, a solidariedade e, também, o entusiasmo, a motivação e as demais sensações positivas que devem ser afloradas no ser humano” (CARVALHO, 2008, p.1).

Líderes espiritualizados são líderes que possuem discernimento, seriedade e solidariedade. São líderes que fomentam a cidadania entre pessoas e organizações. Promovem a paz e a tão sonhada sustentabilidade nos negócios, no ambiente e nas relações humanas. São líderes emocionalmente competentes, capazes de aprimorar o capital intelectual.Líderes espiritualizados são líderes que estimulam seus colaboradores a novos aprendizados, proporcionando abertura para novas ideias, promovendo uma maior participação e envolvimento de todos.

Cultivar determinadas virtudes que antes estavam um tanto quanto esquecidas, tais como: misericórdia, compaixão, bondade, honestidade, caráter, entre tantas outras. O respeito aos semelhantes torna-se obrigação. Readquire importância a necessidade de paz interior e outras dimensões da vida como família, lazer, saúde e solidariedade (VASCONCELOS, 2007, p.18)

Desta forma compreendemos que a espiritualidade tende a gerar humanização na empresa, isso através de um ambiente mais harmonioso, onde todos agem com mais educação, são menos tensos, são mais colaborativos e, são mais amigos, participativos e comprometidos. O que consequentemente desperta o senso de pertencimento, autonomia, visão empreendedora, proativa, comprometimento, entre muitas outras competências que colaboram para o alcance de resultados extraordinários.

Por se tratar de um tema recente na história das organizações, como todo processo de mudança, há resistências em relação à importância da espiritualidade das lideranças. Há preconceitos e polêmicas, no entanto, compreendemos que se trata de um processo necessário se vislumbrarmos uma mudança no paradigma organizacional vigente, no qual o maior lucro possível é obtido a qualquer custo.

Cacioppe(2000, p. 48) sublinhou que “Os líderes empresariais bem-sucedidos do século XXI serão líderes espirituais“.

Imagem: Flickr.com/IanS

Informações do Autor

Mônica Bastos

Mônica Bastos é Administradora, Escritora, Coach, Analista Comportamental, Palestrante. Autora do livro Um Líder Recrutado por Deus e coautora dos livros Damas de Ouro, Coaching & Mentoring – Foco na Excelência e também do E-book 15 Lições de carreira para Administradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *