Projeto pode ser definido como esforço temporário, empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. A natureza temporária dos projetos está relacionada com seu início e término, que devem ser bem definidos. O termo temporário se aplica somente ao projeto e não aos produtos do projeto, este deve criar/gerar resultados duradouros. Os resultados podem ser tangíveis e/ou intangíveis e em geral, os resultados de cada projeto são únicos.

Os projetos devem ser empreendidos em todos os níveis da organização, eles envolvem riscos e incertezas que precisam ser gerenciados para que os resultados sejam satisfatórios. Um projeto pode criar produtos e serviços e/ou gerar melhorias em linhas de produção de bens ou serviços ou resultados documentais.

Para tanto, gerenciar projetos envolve a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto para atender aos seus requisitos e atingir seus objetivos. Assim, a Gestão de Projetos pode ser dividida em cinco grupos de processos tais quais: Iniciação, Planejamento, Execução, Monitoramento e controle, e Encerramento.  Gerenciar projetos é lidar com trade-offs e restrições como: Escopo, Qualidade, Cronograma, Orçamento, Recursos e Riscos, alterar e/ou interferir em uma dessas variáveis gera impactos em outras variáveis. Por exemplo, reduzir o prazo de entrega ou aumentar a qualidade do produto do projeto, pressupõe aumento do custo e a maior necessidade de recursos.

Embora os projetos possam não ser necessariamente interdependentes ou diretamente relacionados, eles estão ligados ao plano estratégico da organização por meio do seu portfólio. O Portfólio se refere a uma coleção de projetos, programas, subportfólios e operações gerenciadas como um grupo para o alcance dos objetivos estratégicos. Os programas são agrupados em um portfólio e englobam subprogramas, projetos ou outros trabalhos que são gerenciados de forma coordenada para apoiar o portfólio. Os projetos podem ser parte de um programa ou não, mas compõem o portfólio da organização.

O gerenciamento de portfólios, programas e projetos também deve estar alinhado aos princípios estratégicos da organização. Assim, o alinhamento do gerenciamento de portfólios às estratégias organizacionais permite a seleção de programas e projetos certos, priorizando projetos baseados em riscos, custos e trabalho e proporcionando os recursos necessários. Pois, o objetivo do gerenciamento de portfólios é maximizar o valor do portfólio através de um exame cuidadoso de seus componentes – programas e projetos.

Enquanto o gerenciamento de programas harmoniza os componentes dos projetos e subprogramas e controla as interdependências a fim de obter as metas esperadas. Podemos citar como exemplo de programa, um sistema de satélite de comunicação com projetos em diversas áreas, como design do satélite, construção e integração dos sistemas. Assim, gerenciar os projetos envolve o desenvolvimento e implementação de planos para o alcance de um escopo específico que é motivado pelos objetivos do programa ou portfólio.

O Gerenciamento Organizacional de Projetos – GOP promove a capacidade organizacional ligando os princípios e práticas do gerenciamento de projetos, programas e portfólios com facilitadores organizacionais (práticas estruturais, culturais, tecnológicas e de recursos humanos) para apoiar o alcance das metas. Por meio do Gerenciamento Organizacional de Projetos – GOP, ao invés de executar projetos randomicamente, você estará melhorando seus processos e alinhando projetos às suas necessidades e estratégias do negócio. Você terá certeza que sua empresa tem foco nos projetos e programas que suportam os objetivos estratégicos, orientando assim, os investimentos em projetos. Quando você faz isso, sua empresa obtém melhor resultados, melhor rendimento e aumenta a vantagem competitiva sobre seus concorrentes.

Para o alcance dos objetivos estratégicos é necessário, também, o gerenciamento de operações que envolvem a supervisão, orientação e controle das operações de negócios. Os projetos exigem atividades de gerenciamento de projetos, enquanto que as operações exigem gerenciamento de processos e negócios e atividades de gerenciamento de operações.

Durante o projeto, em todo momento, se à interação dos envolvidos e interessados nos produtos do projeto. Desse modo, cabe ao gerente de projeto, incluir de maneira adequada as partes interessadas em todas as fases do projeto, evitando assim, problemas desnecessários quando as informações são negligenciadas. É importante ressaltar que as partes operacionais devem estar engajadas e as suas necessidades identificadas como parte dos registros, e sua influencia deve ser abordada como parte do plano de gerenciamento de riscos.

Para estabelecer a direção estratégica e os parâmetros de desempenho, as organizações usam a governança. O negócio deve ter alinhamento constante com o projeto para que suas chances de sucesso aumentem, pois o projeto estará assim, alinhado à direção estratégica da empresa.

Gerenciar projetos é uma tarefa pouco tecnológica e muito humana. Nesse sentido, as Organizações Baseadas em Projetos – OBPs se referem às várias formas organizacionais que criam sistemas temporários para a execução do trabalho de gestão do projeto.

Os projetos são empreendidos para alcançar resultados, e para isso as empresas adotam processos e procedimentos formais de governança organizacional. Assim, é importante que se conheça a estratégia e políticas de governança da empresa para que o projeto esteja alinhado.

O Valor de negócio é um conceito único e pode ser definido como a soma total de todos os elementos tangíveis e intangíveis. Dependendo da organização, o escopo do valor de negócio pode ser de curto, médio ou longo prazo. O valor pode ser gerado através do gerenciamento eficaz de operações contínuas, assim, por meio do gerenciamento de portfólio, programas e projetos, as organizações estarão capacitadas a empregar processos confiáveis gerando maior valor para os negócios.

Um escritório o de gerenciamento de projetos é uma estrutura organizacional que padroniza os processos de governança relacionados a projetos e facilita o compartilhamento de recursos, metodologias, ferramentas e técnicas. As funções do PMO podem variar desde suportar os projetos à responsabilidade real sobre eles. Assim, há vários tipos de PMO’s, os “De suporte”, “De controle” e “Diretivo”, sendo o Diretivo a estrutura com maior autonomia e controle sobre os projetos.

O PMO reúne dados e informações sobre projetos e avalia e monitora se os objetivos estratégicos estão sendo atingidos. Ele faz a ligação natural entre os portfólios, programas e projetos da organização e os sistemas de monitoramento e controle. É importante ressaltar que os gerentes de projeto e os PMOs buscam objetivos diferentes, sendo assim, são motivados por requisitos diferentes.

O Gerente de Projetos é a pessoa alocada pela organização para liderar a equipe responsável por alcançar os objetivos do projeto. De modo geral, os gerentes de projetos são responsáveis pelo atendimento de necessidades: de tarefas, da equipe e as necessidades individuais. O Gerente de projetos é o elo entre a estratégia e a equipe. Os projetos são essenciais para as organizações, eles criam valor na forma de processos de negócios melhorados, uma vez que se padronizam as operações. Assim, o papel do gerente é cada vez mais estratégico, ele pode ser considerado um defensor da estratégia da empresa. Desse modo, além das habilidades específicas para cada área, para o gerenciamento eficaz de projetos, é precisa que o gerente tenha algumas competências tais como: conhecimento sobre gestão de projetos, desempenho, refere-se ao que, o gerente de projetos é capaz de fazer ou realizar quando ele aplica seu conhecimento em gerenciamento de projetos e pessoal, que está relacionado ao comportamento do gerente e as suas habilidades interpessoais.

 

 Crédito imagem: freedigitalphoto.net

RELATED ITEMS
Informações do Autor

Rone

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *