Passo a passo: aprenda a fazer extrato de baunilha em casa

A baunilha, do castelhano vainilla (ou seja, pequena vagem) é obtida de orquídeas do gênero Vanilla, nativas do México. Ela só foi descoberta pelos europeus quando Hernan Cortez, um famoso conquistador espanhol, a levou ao velho continente em 1520. A história conta que os conquistadores a descobriram ao mesmo tempo que o chocolate: pela bebida que os astecas chamavam de xocolatl (pronuncia-se “choque olatl”), uma mistura das duas delícias que era servida apenas aos membros da nobreza da civilização.

De lá para cá, felizmente, ambos se popularizaram. E se o chocolate é muito fácil de se encontrar, a baunilha de verdade ainda é restrita a quem pode pagar por ela: é considerada a segunda especiaria mais cara do mundo, perdendo apenas para o açafrão. A Baunilha Absoluta, forma mais concentrada da baunilha natural, chega a custar 6 mil dólares o quilo.

Mas, calma. Dá para deliciar o paladar com ela sem ter esse dinheiro todo sobrando. Uma das opções você provavelmente já conhece: a essência vendida em supermercados e lojas de produtos para doces. É um aromatizante sintético, produzido artificialmente e com vários químicos em sua composição. Agora, se você gosta de opções mais naturais, é só conferir as formas culinárias da verdadeira baunilha nos tópicos a seguir.

Fava de Baunilha

Os frutos da orquídea Vanilla são vagens de 10 a 25 cm de comprimento e 5 a 15 mm de diâmetro – cada uma com inúmeras minúsculas sementes. Essas são as favas, que não têm cheiro nem gosto. Por isso, primeiro são deixadas secando em estufas ou ao sol – é durante esse processo que enzimas agem para que os frutos fiquem pretos e com perfume concentrado.

Para utilizá-las, você por fazer um corte longitudinal, no comprimento da fava, e extrair as sementes com uma faca. Essas podem ser utilizadas em bolos, cafés ou qualquer tipo de receita que você imaginar – e quem já provou garante: o sabor é incomparável.

Se você usou as sementes, não precisa jogar as favas fora. É com elas que você produz o extrato – que você confere no tópico a seguir.

Extrato de Baunilha

Você vai acabar se sentindo um alquimista, mas garantimos que o cuidado e a atenção ao processo vão valer a pena. Os ingredientes que você precisa são 50ml de vodka para cada fava de baunilha, e um recipiente hermeticamente fechado e esterilizado, de preferência escuro. Além disso, reserve um espaço seco, arejado e escondido da luz em um armário.

Primeiro, você pode amassar a fava com o cabo de uma faca para empurrar as sementes para o fim, se já não tiver utilizado-as. Depois, faça o corte no sentido do comprimento da fava, para abri-la, e se tiver ainda as sementes coloque na garrafa junto com a fava. Adicione a vodka, deixando a baunilha em imersão, feche o recipiente e guarde no armário, longe de luz, por pelo menos dois meses. Mexa a garrafa uma vez por semana para misturar o conteúdo.

UMA DICA: A Baunilha funciona muito bem com pimenta da Jamaica, cardamomo, canela, cravo, gengibre, lavanda, verbena, capim-limão, alcaçuz, menta, noz-moscada, sementes de papoula, sementes de gergelim e anis estrelado.

Imagem: Brian Boucheron

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *