Se discorre tanto sobre inovação que chega a ser chato as pessoas dizendo que viver não é preciso, mas inovar é preciso. Fala-se de inovação dando a entender que sempre deve ser algo novo, inédito, algo que realmente somente um gênio pode produzir, algo distante dos reles mortais. Entretanto, aprofundando um pouco o tema, percebemos que inovar é algo corriqueiro e deve ser assim tratado, a iniciar pelo meio de trabalho a ser empregado. A inovação no dia a dia é algo muito mais fácil do que você imagina.

Não pretendo escrever um artigo sobre como inovar e seus meandros práticos, há centenas de livros para isto.

O cerne da ideia que tenho sobre inovação é o título deste post:

Inovar é…

Sabe, inovar é extrair do seu dia a dia as commodities e trabalhar com o que realmente importa de diferente.

Para muitos advogados, inovar está atrelado a peças processuais. Sinceramente? Com um judiciário cada vez mais político e de lobbys, com súmula vinculante e com leis feitas por vereadores, deputados e senadores da estirpe dos mais bem votados do país (leia-se Tiritica e Cia), peticionar é uma commoditie clara nos dias de hoje.

Passar horas e horas em cima de uma peça para a mesma ser lida pelo estagiário do juiz, julgada conforme uma lista de teses que o estagiário tem ao lado e corrigida (?!) pelo juiz para ser publicada uma decisão que no recurso passa por algo similar é incongruente.

Agora, dedicar tempo para estratégia de atuação do cliente, de como o tempo pode ser relevante para a decisão, de como fazer com que a outra parte sinta-se acuada com o processo ou suas nuances, isto é estratégico e, portanto, merece ser inovado, pensado e debatido.

Se você tirar aquilo que é o padrão e que vai sair padrão (como peticionar, com raras exceções), você pode começar a pensar em inovar.

Para inovar não é necessário criar coisas mirabolantes ou que vão revolucionar o mundo, o que é realmente necessário é a mudança.

Inicie pela mudança.

Comece a pensar em como fazer diferente algo que é feito da mesma forma todos os dias.

Inicie pelos processos internos do seu escritório.

Os documentos e fluxos vão para um lado? E se fossem para o outro, como seria? Qual o resultado diferente de se fazer diferente?

Não há mágica em inovar.

Inovar é tirar aquilo que se faz sem pensar e pensar a respeito de como fazer de outra forma o que sempre se fez da mesma forma.

Enfim,

A minha forma de inovar, foi com definições do meu livre pensar sobre o tema. E você? Como vai inovar a partir de agora?

#FicaaDica

____________________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha

GustavoRocha.com – Gestão e Tecnologia Estratégicas

Celular/WhatsApp/Facebook Messenger: (51) 8163.3333

Contato Integrado: [email protected] [Email, Gtalk/HangOut, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

 

Crédito imagem: freedigitalphotos.net

RELATED ITEMS
Informações do Autor

Gustavo Rocha

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *