Previsão indica inverno frio e mais cedo que o normal

Quem gosta de inverno frio já pode comemorar! Com temperaturas em queda desde o início do mês de março, o inverno começa aos poucos dar as caras em Santa Catarina. A previsão indica que o mês de abril, que começa agora, já terá frentes frias mais fortes do que o mês que acabou. Quanto ao inverno, na prática, ele chega já no início de maio de forma mais intensa.

De acordo com o engenheiro agrônomo Ronaldo Coutinho do Prado, março fecha com temperaturas praticamente abaixo da média, já indicando um inverno mais intenso. “O verão terminou mais cedo esse ano, o outono começou ali em 12 de março. Agora, em abril, já começa dar um sinal de frio mais forte vindo ali pelo dia 9 ou 10, que pode trazer as primeiras geadas mais amplas”, conta ele.

Com isso, o mês que começa agora terá pelo menos até três ondas de frio mais fortes. Para maio também já é prevista onda de frio com intensidade, com a chegada de um inverno mais cedo do que o normal na região de Concórdia, conforme Coutinho. “Esse ano, como ainda tem efeito de La Niña, é provável que o inverno chegue mais cedo, em maio. Normalmente no Alto Uruguai ele entra no final de maio, esse ano entra já no começo do mês”, explica.

Este cenário, no entanto, não quer dizer que será a estação mais fria de todas. Na realidade, isso indica que ele será mais duradouro, mas não mais frio, explica Coutinho. “O inverno [será] dentro do normal pra frio, com alternância de temperatura. Algum dia de calor, e muitos dias de frio. Ele não vai ser um inverno quente como foi 2014 e 2015, mas não acredito num inverno tão frio, como foi no ano passado. Na média, será de normal para frio”, diz.

Inverno frio e chuva

O início de 2017 foi chuvoso em toda Santa Catarina. No entanto, já nos meses seguintes a janeiro a condição de chuva diminuiu e se mostrou irregular, sendo mal distribuída em todo o estado. O engenheiro explica que esta situação continua nos próximos meses. “Ela já vem até abaixo da média em março. A tendência é que a chuva seja de normal para menos na primeira quinzena de abril, melhorando na segunda”.

Essa situação de chuva mal distribuída vai continuar em todo o semestre por influência de La Niña ainda, segundo Coutinho. Mesmo com essa irregularidade da chuva, não chegou a ter estiagem forte. “Quando a estiagem começou a afetar o milho e a soja, veio a chuva. Aí quando a chuva em excesso tava começando a preocupar, veio a estiagem. Ela quebrou, não seguiu o ciclo crítico da cultura”, detalhou Coutinho, dizendo que foram no máximo três estiagens no ano.

Fonte: Educadora
Imagem: flickr/Antoine K

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *