Jovens empreendedores inovam no recrutamento na área de TI

Fundada pelos gêmeos de 28 anos, Tomás Ferrari, Engenheiro de Materiais, e Celso Ferrari, Engenheiro Mecânico, ambos formados pela UFSC, a GEEKHUNTER, é uma startup da área de TI com pouco menos de um ano de existência e já se destaca no mercado. Com mais de 150 clientes, como Ambev, Netshoes, Dafiti, 99Taxis, NuBank, dentre outros, já atua em todo o Brasil com um grande foco nas principais regiões tecnológicas: São Paulo, Belo Horizonte, Campinas, Rio de Janeiro e Florianópolis, além de já trabalharem também em contratações locais e remotas de brasileiros para empresas dos EUA e Europa.

A história dos irmãos, na área de empreendedorismo, se iniciou em 2013 quando ambos foram contemplados com uma bolsa de estudos pelo Ciências Sem Fronteiras para estudar na UCLA (University of California, Los Angeles).  O que inicialmente parecia apenas mais um semestre de graduação, acabou mudando o rumo de suas carreiras. Da engenharia, passaram a focar em disciplinas de Marketing e Empreendedorismo e, não contentes com apenas a teoria, acabaram iniciando o primeiro empreendimento ainda nos EUA, fazendo parte do time fundador da truBrain.

Após um ano e meio, voltaram ao Brasil e seguiram caminhos diferentes. Tomás tornou-se Global Head da área de afiliados e parcerias na Clickbus e lá foi responsável pelo sourcing, concepção e negociação de parcerias locais no Brasil e em outros países, como México, Colômbia, Paquistão, Turquia e Tailândia. Já Celso, fundou a empresa Lett Insights, que logo foi contemplada pelo programa Sinapse da Inovação (programa de subvenção do Estado de Santa Catarina), atualmente incubada no Parque Tecnológico Celta em Florianópolis, e que acaba de receber o seu primeiro Round de investimento.

Apesar de trabalhando em empresas diferentes, ambos sentiram uma deficiência no mercado percebendo que: “O tempo gasto para contratar era muito grande e ainda havia dificuldade de encontrar bons profissionais na área de TI”. E não contentes por estarem trabalhando separados, os gêmeos decidiram unir forças novamente e resolver o problema de contratação de desenvolvedores de software.

Foi então que eles criaram a GEEKHUNTER, que funciona com um modelo inovador no recrutamento de profissionais de TI, pois minimiza o tempo de contratação das empresas e garante a qualidade dos profissionais contratados. Com objetivo de trazer transparência ao processo e evitar entrevistas desnecessárias com profissionais que talvez declinem a proposta ao final de todo o processo pelo motivo de não condizer com as suas expectativas, o modelo de negócios da GEEKHUNTER inverte o formato de contratações tradicional.

Pela plataforma, as empresas oferecem convites de entrevistas já com a descrição da posição, salário, benefícios e detalhes da empresa, para que então venham a ter uma entrevista formal. Os convites para entrevista acontecem em uma “rodada de contratações”, onde, durante um período de 15 dias, todas as empresas parceiras da GEEKHUNTER têm total acesso a todas as informações de um seleto grupo de candidatos já triados, podendo filtrar por tipos de linguagem de programação, pretensão salarial, além de visualizar os testes de lógica e programação com a nota obtida, qualidade do código e tempo dedicado em cada questão.

A GEEKHUNTER é 100% gratuita para os candidatos e não há obrigação de aceitar qualquer oferta ou de conversar com as empresas. O processo é totalmente online e a o candidato fica invisível para todas as empresas onde tenha trabalhado anteriormente ou para a empresa onde estiver trabalhando atualmente. Ainda mais interessante é que, caso o candidato seja contratado, ele recebe R$ 2.000,00 da GEEKHUNTER por ter participado da rodada de contratação.

O processo de seleção de candidatos da GEEKHUNTER é bastante criterioso: em média, apenas de 3 a 5% dos candidatos inscritos na plataforma são aprovados. Todos os candidatos passam por uma triagem via algoritmo, seguida de testes técnicos de lógica e programação e por fim um vídeo entrevista.

A GEEKHUNTER trabalha com um modelo de Taxa de Sucesso, ou seja, as empresas podem se cadastrar e ter acesso a todos candidatos das rodadas de contratações, até mesmos interagir e realizar entrevistas com os profissionais de forma totalmente gratuita. É cobrada uma taxa de serviço à empresa contratante somente a partir do momento em que uma contratação for realizada. O valor a ser cobrado da empresa empregadora é equivalente ao valor do salário de um mês do empregado em perspectiva. Existe ainda a garantia de uma nova contratação, sem que seja realizada uma nova cobrança da taxa de sucesso caso o empregado não se adéque à empresa no período dos três meses iniciais, referentes ao período de experiência.

Site: GeekHunter
Texto e imagens: Betânia Lucco/Assessoria de Comunicação

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *