Legado Olímpico: o sonho acabou, mas não restaram apenas saudades

As Olimpíadas mal acabaram e aquele ”gostinho de quero mais” fica cada vez mais forte. A inúmera cobertura televisiva com infinitos canais, o roer de unhas com esportes pouco populares em nosso país, a grande capacidade de criar personagens carismáticos para os brasileiros e até a afeição por países com baixa tradição no mundo esportivo. Apesar de tudo isso, as Olimpíadas não deixou apenas esses fatores como herança em nosso país. Sem dúvidas, a frase que mais se ouviu antes, durante e depois dos Jogos, foi legado olímpico. As Olimpíadas não servem apenas para mostrar ao mundo quais são os melhores países no ramo esportivo, mas também para a construção de valores, de uma melhor sociedade,possíveis futuras gerações de empregos e na formação de um país melhor.

Pode parecer hipocrisia… mas não é. O esporte tem toda essa importância, ultrapassando qualquer medalha de ouro, prata ou bronze. Alguns esportes de menos expressão no Brasil por exemplo, podem alavancar a prática em nossas terras, devido a conquista de medalhas histórias ou boas campanhas, como o caso do Taekwondo, esgrima, handebol, canoagem, pólo aquático, boxe e tantos outros que fazem parte deste legado olímpico.

Esperamos que as Olimpíadas impulsionem os nossos jovens a prática de esportes, interação social, respeito a disciplinas e tantos outros pontos, gerando assim a exclusão da ideia de uma geração tão sedentária e dependente do mundo virtual. Que o país do futebol vire o País olímpico!

Este é o legado olímpico mais importante.

 

Imagem: ComparaOnline

Informações do Autor

Rafyz Santos

Nascido em São Vicente-SP, apaixonado por futebol desde a infância. ''Formado'' em futebol no Campinho mais próximo da minha casa, e ''especialista'' em identificar vestígios do futebol-muleque!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *