Muitas pessoas pedem, oram, fazem rituais e não sei mais o que, para conseguirem o que querem, mas depois inconscientemente desfazem tudo na mente, pois duvidam se vão conseguir, ou se merecem realmente aquilo.

Somos resultados dos nossos pensamentos, se pensarmos em coisas boas, atrairemos situações boas, se pensarmos em coisas ruins, atrairemos situações ruins.

Nossa mente é criadora, cada pensamento dá forma ao nosso destino.

Temos que saber exatamente o que queremos para utilizar a lei do sentimento dominante, para que nossos pedidos sejam feitos de maneira exata, para que o universo possa “trabalhar” de forma a nos ajudar.

Se emitirmos um pensamento em uma frequência confusa, vamos atrair resultados confusos.

Temos que pedir sem sentir dúvida que seremos atendido.

Temos que pedir, sentir e agir, como se já estivéssemos realizado o nosso pedido, agradecendo com confiança como se já estivéssemos recebido.

A lei do sentimento dominante, reflete de volta para nós nossos próprios pensamentos dominantes. Desse modo, se ficarmos alimentando pensamentos de carência, de falta, de dúvidas, estaremos atraindo o que NÃO queremos. E esses pensamentos vão impedir que a lei do sentimento dominante nos ajude.

A lei do sentimento dominante é o mesma que a lei da atração, pare agora e pense em sua vida, veja que você tem tudo da forma que você mesmo atraiu, não foi ninguém que lhe tirou nada ou que lhe deu nada, foi você que as atraiu para você.

De acordo com nossos pensamentos o universo se movimenta para que nossos desejos se realizem, assim circunstancias, pessoas e acontecimentos vão aparecendo em nossas vidas até que nosso desejo esteja na nossa frente.

É inevitável, para atrairmos coisas boas para nossa vida temos que estar vibrando numa frequência boa do bem também, temos que acreditar que somos merecedores de estamos no melhor.

Acredito que assim possamos todos viver e atrair felicidade todos os dias

Ouse ser feliz!

Crédito imagem: freedigitalphotos.net/stockimages

Informações do Autor

Luise Brito

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *