Qual a melhor forma de manusear um animal que está com dor?

Mesmo o cãozinho mais dócil do mundo pode ficar agressivo se estiver em uma situação em que está com dor. Por mais inteligentes que sejam, eles não conseguem entender os motivos daquela sensação e, como os dentes são a única arma que possuem, podem acabar avançando nos donos quando eles se aproximarem para tentar ajudar. Essa possibilidade é ainda maior no caso de animais em situação de rua, e por isso é preciso tomar muito cuidado na hora de ajudar um animalzinho que está sofrendo algum tipo de dor física.

O procedimento correto para manusear um animal que está com dor

Quando o animal precisar de socorro médico imediato, o mais essencial é tomar muito cuidado ao se aproximar dele: mesmo que esse seja seu instinto, não tente entrar logo em contato físico com o cão. Primeiro é preciso observar à distância se há alguma lesão aparente como feridas, fraturas externas, posições estranhas, entre outras.

No caso dos bichinhos, as maiores dores são sempre provenientes de fraturas ósseas, rompimento de tendões, luxações ou dores abdominais. Por isso, o primeiro passo é improvisar algum tipo de transporte para que o animal não seja movido de forma inadequada a caminho do veterinário. Durante o transporte, o corpo precisa ficar sempre nivelado – jamais suspenda-o de forma desigual, já que isso pode piorar o problema. Para improvisar uma maca, procure um tampo de madeira ou um lençol, por exemplo.

Em seguida, um cuidado importante é colocar uma focinheira no animal, já que durante sua aproximação ele pode tentar se defender. Este será seu primeiro contato com ele e, portanto, aproveite o momento para perceber a reação do animal. Nem todos, em um momento de dor, têm o instinto de atacar para se defender de quem se aproxima – mas a focinheira é importante para evitar surpresas que podem acabar sendo dolorosas.

A colocação da focinheira é bastante simples, e precisa ser feita de forma precisa e com rapidez. Vá para trás do animal segurando nos dois pontos de amarração da focinheira. Em seguida, coloque-a rapidamente e coloque-a com segurança. Se você não tiver uma focinheira por perto, improvise a amarração com cadarço de sapato ou tira de pano.

O passo seguinte é aproximar sua maca improvisada do animal e colocá-lo em cima dela com a ajuda de outra pessoa: enquanto uma segura lateralmente no tórax e na cabeça, outra faz o mesmo no quadril. Se o toque trouxer dor ao animal, procure um local que não o incomode – sem desnivelá-lo e suspendendo-o ao mesmo tempo, de forma sincronizada.

DICA: Quando o procedimento precisa ser feito com um animalzinho de rua ou mesmo quando há possibilidade de qualquer tipo de contaminação – doenças classificadas como zoonoses, que podem ser transmitidas aos seres humanos – é importante calçar uma luva de procedimento antes de manipular o animal, se você tiver acesso a ela.

Imagem: jeffreyw

 

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *