Você sabia que microchipagem de cães e gatos é lei em Jaraguá?

Quando um companheiro de quatro patas desaparece, a não ser que ele tenha passado pela microchipagem, o desespero toma conta e cabe aos tutores tentar acha-lo das maneiras mais diversas possíveis. Mas, essas histórias nem sempre acabam com um final feliz. Muitos são os cães e gatos que acabam não retornando ao lar permanecem perdidos perambulando pela cidade, à mercê da fome, do frio e de maus-tratos.

 

Por outro lado, também são inúmeros os donos que abandonam os animais nas ruas sem nem se preocupar com a saúde e o bem-estar deles. Com a atitude, considerada sinônimo de irresponsabilidade, ocorre uma superpopulação, que ainda pode levar a problemas relacionados ao setor de zoonoses.

 

Por tudo isso, em Jaraguá do Sul, a microchipagem virou lei municipal. Ela garante que os animais levem consigo informações essenciais para que os tutores sejam encontrados e acionados em casos de fugas ou abandono. “Não há rastreamento por satélite, mas, obrigatoriamente eles serão identificados quando levados a um veterinário e este consultar o microchip. A iniciativa é um grande avanço”, explica a veterinária Daniela Brecht.

 

Além de facilitar o encontro de cachorros e gatos perdidos, a microchipagem também serve como meio de responsabilizar tutores irresponsáveis ou que colocam os bichos em situações de maus tratos. “A preocupação do poder público é sobre a responsabilidade do ser humano, que, na atualidade, é quase inexistente. A obrigatoriedade faz com que as pessoas assumam total responsabilidade sobre um animal de estimação”, complementa a gerente do Hospital Veterinário Amizade, Marciele Piccoli.

 

Para o pet, microchipagem é inofensiva

A microchipagem é feita por veterinários e se assemelha ao procedimento de vacinas e medicamentos injetáveis. Dessa forma, a grande maioria dos cães e gatos não apresenta qualquer desconforto no momento da colocação. O material usado é esterilizado e encapsulado e não exige manutenção.

Texto: Entrelinhas Comunica/Hospital Veterinário Amizade

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *