Como solucionar novos problemas com antigas soluções

Lidar com novos problemas é algo que nos acompanha durante toda a vida. Sejam eles mais ou menos completos, mais ou menos urgentes, uma coisa é certa: eles sempre virão.

Na educação não poderia ser diferente. Em todos os momentos, os professores e gestores educacionais precisam lidar com situações inusitadas que podem fazer com que as coisas fujam do controle. Por isso a necessidade de sempre estarem tentos as diversas formas de resolver o mesmo problema.

Você pode estar estranhando o título deste texto, afinal, como alguém pode solucionar novos problemas com antigas soluções? Se você acha isso algo impossível, continue a leitura até o fim e tire suas próprias conclusões.

Quando o assunto é lidar com estudantes de modo com que eles recebam uma formação completa para se tornar profissionais competentes e éticos, os desafios são inúmeros, então veja aqui algumas dicas que separamos para você que quer lidar com novos problemas utilizando antigas soluções:

– Os alunos preferem ficar no celular ao invés de prestar atenção na aula.

Realmente, as atrações que o celular e a internet oferecem, fazem com que a competição contra a aula seja algo desleal. Para resolver isso, continue com suas aulas tradicionais que não despertam no aluno o interesse suficiente para compreender a sua importância.

Se você discorda, realize aulas dinâmicas que saia do convencional. Envolva os conhecimentos e as curiosidades dos alunos como forma de construção de um novo conhecimento coletivo. Demonstre a importância do conteúdo e onde ele será útil em sua vida.

– A escola não oferece infraestrutura suficiente para inovar na sala de aula.

Para realizar uma aula nova é preciso muita dedicação e preparação. Para solucionar esse problema, aguarde até com que a escola ofereça todos os equipamentos tecnológicos para que, a partir daí, você comece a se preocupar com a preparação de uma nova aula.

Se você não acredita nisso, comece de onde está e use o que tem. Aulas inovadoras necessitam muito mais de uma atitude inovadora do que de tecnologia propriamente dita. Dedique um tempo para preparar uma aula criativa. A inovação está no método, nem sempre somente na ferramenta.

– Meus alunos não sonham grande.

Muitas crianças e adolescentes não têm percepção de futuro, ou por não terem sido estimulados para sonhar grande ou por não terem ainda maturidade para compreender qual profissão desejam seguir. Por isso, você precisa atribuir toda essa responsabilidade aos pais. Afinal, esse não é um problema seu.

Se você não acha que essa seja a solução, contribua para que seus alunos tenham sonhos. Estimule-os para que compreendam quais são as possibilidades que o mundo oferece, seja na profissão, seja na vida. Um professor é um espelho e tem papel fundamental para que os alunos realizem excelentes escolhas. E isso vai contribuir para que eles se dediquem nos estudos e projetos.

– Os alunos não vão bem nas provas.

Medir o aprendizado dos alunos é essencial para que seja possível seguir a diante com o conteúdo em sala, por isso a necessidade de realizar avaliações constantes. Se seus alunos não vão bem nas provas significa que não estão aprendendo como deveriam. Por isso, é preciso garantir que eles decorem os conteúdos e realizem as tarefas de casa para que respondam às questões corretamente. Caso eles ainda não tirem boas notas, vale a pena dar algumas punições. Assim eles se dedicaram mais nos estudos.

Se você acredite que essa não seja a melhor maneira de ensinar e avaliar seus alunos, elabore novas formas de avaliação, de modo com que eles consigam demonstrar o que aprenderam de maneira mais leve e sem a pressão de serem testados. Mais do que decorar, os alunos precisam, realmente, absorver o conteúdo.

Uma coisa é certa: Um professor que acredita que pode solucionar problemas novos com soluções velhas, não terá sucesso. É preciso ter em mente que, cada vez mais as gerações são diferentes e com atitudes próprias que tem forte influência da tecnologia. Inovar na sala de aula não significa investir em técnicas mirabolantes, mas sim oferecer uma dinâmica construtiva que colabore para o conhecimento em conjunto, favorecendo as diversas competências dos alunos.

*Texto originalmente desenvolvido para a Plataforma JUNTOS
Imagem: freeimages.com/robgonyea



                                                                                                               Publicidade
Informações do Autor

adriananeves

Compartilhadora de boas notícias. Conectora de projetos e pessoas.
[Gestão de mídias digitais e produção de conteúdo.]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *