O dia da mentira: quando o mundo acaba, os ETs existem e você só ri

Que atire a primeira pedra quem nunca, no dia 1º de abril, abriu aquela notícia assustadora e leu até o final antes de lembrar que… ufa, era tudo mentira. O dia da mentira. E geralmente é mesmo o dia inteiro!

Pois essa tradição nasceu na França, lá por 1560. É que o ano novo era sempre comemorado em 25 de março, no início da primavera. As festas, com bailes animados e cheias de presentes, duravam uma semana – terminando em 1º de abril. Em 1562, no entanto, o Papa Gregório XIII (1502-1585) decidiu que todo o mundo cristão começaria a comemorar o início do ano em 1º de janeiro. A França só aceitou a mudança dois anos depois, e ainda assim uma boa parte dos franceses resistiram e continuaram as comemorações nas datas antigas. Aos poucos, os mais engraçadinhos deram a eles o apelido de “bobos de abril” e começaram a ridicularizar essa prática, enviando aos conservadores presentes estranhos e convites para festas inexistentes.

Com o tempo, a piada ganhou todo o país e chegou à Inglaterra, espalhando-se daí para o mundo.

Crédito foto: flickr/SuperCarRoadTrip.fr

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *