Osteoid: o gesso do futuro que é bem menos incômodo que o atual

Quem já quebrou alguma parte do corpo e precisou de gesso sabe: é horrível. Além da agonia da imobilização, o invólucro ainda ajuda a desenvolver um odor desagradável e característico, não deixa aquela parte do corpo respirar, não pode ser molhado e ainda provoca coceiras quase insuportáveis. Pois agora, graças à tecnologia, esse desconforto pode estar com os dias contados. É que Deniz Karasahin criou, com a ajuda de uma impressora 3D, o Osteoid – um “gesso do futuro” feito sob medida e repleto de orifícios de ventilação. Ele pode ser usado junto ao sistema LIPUS, que envia pequenos pulsos de ultrassom capazes de acelerar a recuperação do osso em até 38%.

O sistema requer apena a colagem de dois eletrodos à pele, encaixados na estrutura de plástico, e são necessários apenas 20 minutos diários de uso para que os resultados apareçam.

O projeto foi premiado com a medalha de ouro no A’Design Award. Tomara que chegue logo ao mercado!

Crédito fotos: © Deniz Karasahin

Informações do Autor

Equipe Dom7

Equipe de redatores do Grupo Dom7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *