O uso de eletrônicos na primeira infância

O que se aprende na primeira infância, fica guardado por toda a vida e o uso de eletrônicos por crianças desde que nasceram pode trazer riscos ao seu desenvolvimento.

O aumento ao acesso à tecnologia em todas as idades preocupa pais, médicos e educadores, pois a atenção dos adultos fazem toda a diferença no desenvolvimento emocional e intelectual da criança, elas precisam de espaço para brincar, tempo para inventar e fantasiar à vontade longe dos eletrônicos.

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que crianças menores de dois anos não tenham qualquer exposição aos eletrônicos. Já entre crianças acima dos dois anos, podem ficar até duas horas diárias com TV, celular ou tablet.

O que diz respeito sobre a lógica da restrição é que mesmo que haja ganho com tecnologia, a criança aprende mais brincando no mundo real e se relacionando com as pessoas.

Não funciona usar os eletrônicos como “”calmante” quando as crianças estão agitadas, pois a exposição precoce e exagerada aos dispositivos pode aumentar a irritação, agressividade, aumento da impulsividade e diversos problemas físicos como a obesidade infantil.

Os eletrônicos devem ser usados com cautela pelas crianças principalmente na primeira infância, não pode substituir outras coisas importantes, como andar na rua, correr, tomar sol, interagir com outras crianças etc.

A grande preocupação é que o uso excessivo dos equipamentos eletrônicos cause grave consequência quando a criança chegar à adolescência, ocasionando dificuldades de socialização.

Cabe aos pais ter o cuidado de decidir o que deve ser visto pela criança na primeira infância.

Crédito imagem: freedigitalphotos.net/yingyo

 

Informações do Autor

Regiane Casanova

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *