Dica de especialista: Por que devemos escolher azeite extravirgem?

Você ouve muito falar sobre o azeite extravirgem, e é bem possível que ele esteja, agora mesmo, na sua cozinha. Bastante usado para temperar saladas, vegetais cozidos e vários tipos de pratos – do peixe mais magro à pizza mais elaborada -, o azeite de oliva pode ser encontrado em uma variedade imensa de procedência, marcas e preços. Se engana, porém, quem acredita que qualquer um deles traz os benefícios à saúde tão alardeados por nutricionistas.

No caso desse óleo, que é retirado das azeitonas e faz muito bem ao coração, é preciso prestar muita atenção à classificação quanto ao nível de acidez: é ela que indica a presença de uma concentração maior de gorduras saudáveis, como as poli e monoinsaturadas, responsáveis pela diminuição do colesterol ruim e aumento do colesterol bom. Na prática, quanto maior a quantidade de gordura boa na composição, menor a acidez.

Por isso, a escolha deve ser pelas versões virgem e extravirgem. A segunda é aquela que apresenta acidez máxima de 1%, e é considerada a melhor opção do mercado. Mais saboroso e mais puro, o azeite extravirgem é resultado da primeira prensagem das azeitonas e, consequentemente, é o de maior qualidade. Já o azeite virgem possui acidez máxima de 1,5% – com um pouco menos de sabor, ele é extraído da segunda ou terceira prensagens e mantém a qualidade e nutrientes do extravirgem.

Os refinados, por sua vez, são considerados produtos inferiores, já que o processo de refinamento químico retira grande parte da gordura saudável, vitaminas e nutrientes. Piores do que esses, só os compostos: são misturados com óleo de soja (geralmente, transgênico) e perdem as características desejadas em um azeite.

Crédito foto: flickr.com/SmabsSputzer


                                                                                                               Publicidade
Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco. Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *