Pokemon Go: É possível usar a Realidade Aumentada na Educação?

A realidade aumentada ainda é novidade para muitos, embora já encontremos sua aplicação por instituições mais ousadas. Já falamos aqui, em outro momento, sobre a tecnologia, utilizada no game Pokemon GO. Mas, dessa vez, ela será tratada por outro olhar, sobre como ela pode ser utilizada na educação.

A técnica é uma união do mundo real e o mundo virtual. Com a utilização de equipamentos tecnológicos é possível fazer com que objetos virtuais sejam projetados em um cenário visto a partir de uma câmera, o que causa o efeito dele estar realmente ali.

A realidade aumentada, em si, não é nova. Há relatos de sua origem, ainda muito singela, em 1968. Mas foi a partir dos anos 90 que sua aplicação foi ganhando corpo. Porém, as ferramentas disponíveis ainda não contribuíam para a sua popularização.

Justamente, a partir do Pokemon GO, a técnica passa ganhar o gosto popular, o que contribui para que diversas empresas comecem a investir nela para as mais diversas áreas.

E na educação? Como ela pode ser utilizada?

Em muitos casos. O fato dela proporcionar essa interação entre o virtual e o real contribui para a otimização do aprendizado e as áreas ativas do cérebro essenciais para minimizar a ineficiência dos sistemas educacionais tradicionais. Ou seja, sua aplicação contribui, e muito, para tornar o ensino mais envolvente e inovador.

Aqui apresentamos alguns exemplos de temas a serem considerados para a utilização da realidade aumentada:

– História Antiga:
Com a tecnologia, é possível recriar cenários antigos que não existem mais, assim como, projetar objetos com todos os seus detalhes.

– Geometria:
Atualmente as escolas utilizam peças reais para ensinar formas geométricas, seus lados e suas medidas. E por que não apresenta-las virtualmente?

– Corpo Humano:
Já pensou em ensinar sobre o corpo humano demonstrando todas as suas partes? Com a realidade aumentada, além do aluno ter a visão de como é um corpo humano por dentro, ele ainda consegue estudar parte por parte, órgão por órgão.

– Astronomia:
Este é um dos temas que, talvez, mais gere curiosidade em sala de aula. Estudar os astros, estrelas e origem do universo deixa qualquer aluno querendo saber mais. Com a realidade aumenta isso seria possível, pois o estudante consegue ter uma visão mais clara sobre o funcionamento do universo.

Os temas são infinitos. Seja você um professor de Português, Biologia, Matemática, Geografia… sempre haverá um meio de levar a realidade aumentada para a sala de aula. Vale a pena estudar o que já existe e em quais contextos sua aplicação é mais eficaz.

É preciso ter em mente, contudo, a necessidade constante de apresentar algo novo aos alunos, pois eles estão, em todos os instantes, sendo impactados pelas inovações tecnológicas.

Os estudantes são curiosos e entusiasmados para aprender, mas já não basta levar aquele conteúdo tradicional que em anos atrás funcionava. A tecnologia precisa ser uma parceira do professor, não como recurso, mas como uma mudança de metodologia voltada para as atuais e futuras gerações.

*Texto originalmente desenvolvido para a Plataforma JUNTOS
Imagem: freeimages.com/iceviking

Informações do Autor

adriananeves

Compartilhadora de boas notícias. Conectora de projetos e pessoas. [Gestão de mídias digitais e produção de conteúdo.]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *