Simplificando a gestão de pessoas para a empresa poder crescer

É só simplificando a gestão de pessoas que a empresa vai poder crescer. As relações humanas se tornam a cada dia mais complicadas e muito gestores seja de grandes ou pequenas empresas muitas vezes se sentem perdidos sem saber exatamente como se relacionar com seus colaboradores e sem conseguir os resultados esperados.

Aprendeu-se durante muito tempo que eram necessárias várias conversas, muitas reuniões, e muito feedback para se otimizar resultados e motivar as pessoas. Grandes palestras e planilhas enormes de avaliação de desempenho ainda hoje são usadas.

Mas será que em uma realidade onde prevalece o excesso de informação inútil ainda é  necessário que seja assim? Será que com esse modelo de gestão o gestor não acaba se tornando babá e fazendo com que seus subordinados se percam em conversas e teorias inúteis sendo que algumas vezes podem acabar dizendo coisas que são desmotivadoras? Será que é mesmo necessário essa marcação cerrada, esse stress todo, essa tentativa de controle de todas as ações praticadas pelo colaborador?

Embora em se tratando de gente nada é cem por cento garantido talvez priorizar o que realmente se espera de cada um em sua função e elencar no máximo três parâmetros apenas para medir resultados e depois mostrar os resultados de um jeito claro e direto sem julgamentos apenas fatos obtidos não traria resultados mais objetivos e satisfatórios?

Por ex. no caso de um vendedor externo de uma grande empresa:

Nesse exemplo a avaliação de desempenho seria medida através de 3 fatores apenas:

1- Valor dos pedidos tirados

2-Contato com novos clientes e cadastro dos mesmos

3-Contato com antigos clientes e anotação de suas observações e necessidades

Um auxiliar de produção, por exemplo, pode ser avaliado também através de 3 principais fatores:

1- Quantidade de produção

2-Qualidade da produção

3-Trabalho em equipe

Enfim, são muitos exemplos que podem ser dados mas o importante é dar prioridade a apenas 3 fatores e deixar o resto para não desgastar o relacionamento e perder tempo com discussões que podem desmotivar ou mesmo provocar o afastamento por coisas pequenas e desnecessárias, enquanto o que é realmente importante é deixado de lado. A rotatividade de pessoal não é vantajosa para nenhuma empresa, então por que não se ater apenas no que é realmente importante?

Priorizar e destacar apenas 3 fatores mais importantes em cada função para poder avaliar com maior precisão é absolutamente desejável e muito mais eficaz pois todos podem se concentrar no que realmente importa sem perder tempo com coisinhas desgastantes e irrelevantes.

O maior treinamento ainda é o exemplo e a conversa mais eficaz ainda é a mais cordial, breve e precisa possível. Quanto menos se falar e mais claro for existe maior possibilidade de entendimento.

Relacionamentos humanos principalmente profissionais são bastante complicados pois estamos lidando com sentimentos, egos e na grande maioria das vezes corremos os risco de sermos mal interpretados e é por isso que o mais prudente é priorizar e o que for melhor deixar de lado descartar e evitar aborrecimentos.

Otimizar resultados é possível tornando tudo mais simples, direto e claro. Como dizia um velho e antgo ditado popular: “boca fechada não entra mosquito”; ou seja, quanto mais curta e objetiva for a conversa, ou feedback,  menor a possibilidade de erros afinal todos querem e irão fazer um bom trabalho principalmente quando bem esclarecidos e motivados para tal!

 Crédito imagem: freedigitalphotos.net/wiangya

Informações do Autor

Lucilene Antunes

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *