Somos todos incompetentes: comece por você mesmo

O grande mal de todos nós é falar mal de outras pessoas, chamando-as de incompetentes, muitas vezes deixando de olhar as nossas próprias fraquezas. Não importa se são pessoas que estão em uma condição superior ou inferior à nossa, são todos incompetentes. Quer ver alguns exemplos?

Os nossos governantes estão sempre na nossa mira. Criticamos os nossos governantes porque não são, a nosso ver, competentes para resolverem os problemas de nossas cidades.

As nossas universidades não são boas porque não formam profissionais competentes. Entra reitor e sai reitor, as acusações de mau uso de recursos continuam as mesmas e a qualidade de ensino continua a mesma, isso quando não sofrem penalidades do Ministério da Educação. Professores não sabem ensinar, alunos não querem aprender. Está formado o cenário.

Se o assunto é futebol, presidentes, técnicos, jogadores de futebol são bons alvos. Há sempre um forte motivo de nossa parte para criticá-los. Um presidente pode não ser competente porque não contrata bons jogadores para o seu time. O técnico é incompetente porque não escala o jogador tal ou porque não substitui um jogador no momento certo, ou ainda, porque escala um jogador que não devia sequer estar no banco de reservas. O preparador físico e de goleiros não parece saber bem o que está fazendo. O jogador, por fim, não consegue marcar os gols necessários.

O mesmo acontece nas empresas nas quais trabalhamos. Há sempre um culpado pelo fracasso nos resultados, há sempre alguém que não fez o que devia para obter melhores resultados nas vendas. O presidente não presta, os diretores não se entendem e não sabem ou não conseguem definir as melhores estratégias para a empresa e os demais funcionários, só estão ali para ganhar o seu salário no final do mês. É o que dizemos.

Bom, para quem gosta de criticar, a lista de incompetentes em todos os setores é enorme. Mas, o que fazer para que as coisas mudem?

Vou dar apenas um conselho: experimente perguntar o motivo pelo qual alguém está criticando outra pessoa e em seguida apresente um argumento contrário ao que ela está lhe apresentando, dizendo: o que você acha de olhar essa pessoa por outro lado? Coloque-se no lugar dessa pessoa! Observe a reação dela, e você terá uma surpresa, ela vai se abalar com a sua posição e até mesmo lhe dar razão por você ter mostrado um outro ponto de vista para ela.

Eu mesmo já fiz isso e percebi que depois que eu apresentei outros argumentos sobre a pessoa e situação que ela estava criticando, ela me disse “é verdade, sabe que você tem razão?”

Ou seja, muitas vezes criticamos outras pessoas ou situações sem saber o motivo pelo qual estamos fazendo isso, sem ter argumentos, sem ter qualquer solução para os problemas aos quais está sendo submetido o criticado. Preferimos criticar, por criticar, no fundo, por total incompetência.

Crédito foto: freedigitalphotos.net/bplanet

RELATED ITEMS
Informações do Autor

Nelson Fukuyama

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *