THE TIME IS GONE, THE SONG IS OVER…UM DIA. PRA TODOS

Aos amantes da boa música, uma das mais belas de todos os tempos: TIME. Não envelhece.

Mas nós, independentemente de raça, credo, poder, riqueza e caráter, sim. O tempo é silencioso e inseparável. Tudo fica pelo caminho. Mas ele nos acompanha até o fim, deixando lembranças e a maior lição da vida.

Imagem: maxresdefault



                                                                                                               Publicidade
Informações do Autor

Mauro Barbosa Gomes

– Escritor, palestrante e músico da banda Quinta Nota.
– Dois livros de crônicas/contos: A Chave do Seu Coração e Olhares.
– Faz eventos promocionais com palestras e música em livrarias e Cafés.
– Participação na Bienal Internacional do Livro 2016 no Anhembi São Paulo com tarde de autógrafos para “Olhares” , publicado pela Chiado Editora.
– Integra a Antologia Poética Além do Céu Além do Mar que reúne poesias de vários autores Brasileiros em 2017.
– Autor do Projeto literário Musical “O Tom da Letra” levado há dois anos em bares, restaurantes, etc.
– Cronista por dez anos da revista eletrônica InfoWebNews (www.infowebnews.com) – 2001 a 2011
– Dois trabalhos publicados em Antologias literárias vencedoras do Prêmio Porto Seguro de Crônicas em 2008 e de Contos em 2009
– Dois contos selecionados para a Antologia de Contos 2009 do concurso da Editora Guemanisse, em Teresópolis.
– Curso de Oficina Literária Afrânio Coutinho (OLAC) – 1992
– Curso de Redação Publicitária – 1987 (Faculdades Integradas Hélio Alonso)
Gosto de falar de relacionamentos, cotidiano, a vida em geral.

3 Comments
  1. Cintia

    24 de Fevereiro de 2017 de 18:17

    Linda música! E o vídeo…delicadeza e cumplicidade.Parabéns!

  2. renato rodrigues

    24 de Fevereiro de 2017 de 11:15

    Música não tem tempo. Clássicos muito menos.

    • Mauro Barbosa Gomes

      Mauro Barbosa Gomes

      24 de Fevereiro de 2017 de 16:24

      Renato meu amigo, você tem razão. O correto é utilizar o advérbio independentemente. O adjetivo independente modifica o sujeito e tem outro significado. Traquinagens da língua portuguesa. Quisera eu ser independente, ter opinião própria. Mas ela é rígida. E suas regras devem ser seguidas, independentemente da nossa vontade ou caprichos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *