Tire a cabeça da vila: aprenda a crescer de verdade

Às vezes a gente nasce numa vila pequena, vai crescendo, trabalhando aqui e ali, o tempo vai passando e um belo dia alguém diz: “E aí, como você cresceu hein.”. Daí pensamos: “cresci?”. Eu sei bem como é difícil tirar a cabeça da gente da pequena vila em que nascemos. Demorei um bom tempo para perceber que precisava acreditar que podia ir muito longe, cada vez mais longe, pois sem esse pensamento provavelmente continuaria na vilinha em que vivi por muitos anos. O problema não é a vila, nem as pessoas que moram nela. O problema é a cabeça da gente não sair daquele lugar e achar que aquele é o maior território que podemos ocupar. Vejo o tempo todo empresários com uma pequena empresa, e com a cabeça menor ainda.

Outras vezes, vejo grandes empresários dentro de pequenas empresas. Pode ser um funcionário sonhador, empreendedor, que mesmo dentro de uma microempresa pensa grande. Só que não tem a coragem e a ousadia para arrancar os pés dali e partir em busca da realização profissional e pessoal.

Tire sua cabeça da vilinha em que nasceu e a deixe voar. Não há outra maneira de se dar bem na vida a não ser mudando seu estado mental, levando sua mente a viajar pelos lugares mais impensáveis possíveis.

Se você tem uma pequena empresa, invista nela, pense em crescer, em abrir filiais e faturar milhões. Treine as pessoas sempre, mas antes de tudo, treine sua mente você mesmo para crescer.

Outra dica fantástica é que você cresce mais rápido se não tiver gente segurando suas pernas. Afaste-se de pessoas com a mente pequena, de quem quer passar o resto da vida morando na mesma vila, ganhando sempre a mesma coisa, tendo todos os dias as mesmas dificuldades.

É como a esposa que apanha todo dia do marido. No dia em que ele não bate ela pergunta: “está tudo bem, não vai me bater hoje”, e apanha de novo.

A cabeça da gente é mais ou menos desse jeito. Se você acostuma ela a pensar pequeno, no dia em que pensar grande ela vai lhe perguntar se “está tudo bem?”. E nesse momento você tem que decidir parar de apanhar para então evoluir, mudando seus pensamentos, ideias e atitudes.

Não é só uma questão de dinheiro, de ganhar mais e mais. É uma questão de vencer a pobreza de espírito, que é a maior pobreza humana.

Faz sentido pra você?

Torço por você, um beijo no coração, fique com Deus, sucesso e felicidades sempre!

 

Paulo Sérgio Buhrer

www.professorpaulosergio.com.br
Crédito foto: freedigitalphotos.net/TomCurtis

Informações do Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *