Transforme-se: de empreendedor a empresário

Finalmente, após um árduo e estafante processo burocrático, legal e contábil, você estufa o peito e proclama aos quatro cantos: “Consegui, consegui, agora eu sou um empreendedor, tenho a minha empresa, vou passar a trabalhar para mim, chega de patrão, chega de chefe, quem manda em mim sou eu, etc e tal”. Mas, e agora? Como ir de empreendedor a empresário?

Ledo engano. Para começar, você foi um empreendedor, de fibra, coragem e determinação, quando  decidiu  abrir seu próprio negócio, seja ele qual for, e não desistiu apesar das barreiras, dos entraves, do tempo transcorrido (que parecia conspirar contra você), das taxas, das exigências e de todos os demais rituais que tiveram de ser cumpridos para que SUA  EMPRESA nascesse.

Entretanto, agora você é mesmo um EMPRESÁRIO  e como tal deve pensar, planejar e agir, iniciando por esquecer esta história de que “agora você não tem patrão”. Pelo contrário, agora você tem em cada cliente um patrão, muito mais exigente do que seu antigo chefe, que exige preço, prazo e qualidade, não necessariamente nesta ordem,  de seu fornecedor, que é você. Entenda: suas relações mudaram de patamar, deixaram de ser do tipo “chefe x subordinado” para serem do tipo “cliente x fornecedor” e isto exige de você uma nova postura profissional.

No seu novo papel, o de EMPRESÁRIO, você deverá planejar o futuro de seu negócio, porém, sem esquecer as batalhas do  dia-a-dia. Ou seja,  ao mesmo tempo em que você deverá estar acompanhando e avaliando  as mudanças do macro-ambiente em busca de novos desafios e nichos  de atuação, visando traduzir em negócios as oportunidades que surgirem, você não poderá descuidar de seus negócios atuais, que são os verdadeiros  responsáveis por manter a sua empresa viva e no mercado. Isto exigirá muito fôlego, atenção e informação para análise e tomada de decisão.

Como EMPRESÁRIO, você deverá cuidar de suas relações e da sua imagem, investindo constantemente em sua rede de relacionamentos, ampliando suas potencialidades e sua visibilidade perante seus clientes atuais e potenciais,  de maneira a induzi-los a pensarem em você como primeira alternativa quando necessitarem de produtos ou serviços dos tipos  que a sua EMPRESA fornece.

Você deverá passar a administrar seu tempo, de forma diferente daquela que você utilizava enquanto empregado. Lembre-se de que como EMPRESÁRIO, você poderá ter hora para iniciar suas atividades no dia, mas, dificilmente você poderá estabelecer, a seu “bel prazer”,  um horário para encerrar suas atividades, principalmente, nos primeiros passos de sua EMPRESA. Ainda mais, se o seu negócio for de prestação de serviços, prepare-se, e a sua família, para jornadas de trabalho que parecerão intermináveis, incluindo-se aqui os sábados, domingos e feriados, que são os melhores dias para a recuperação daqueles atrasos nos cronogramas de desenvolvimento de projetos.

Prepare-se, também, para administrar com mão-de-ferro seu fluxo de caixa. Pense bem, como EMPRESÁRIO você não terá mais o salário recebido no dia certo, o adicional de férias (ah! doces férias dos tempos de empregado), o décimo terceiro, recebido religiosamente todos os anos, cujos gastos muitas vezes foram antecipados, por conta da certeza do seu recebimento e os demais benefícios  sociais, tais como, plano de saúde e seguro de vida, para ficarmos nos dois mais significativos, que a partir de sua transformação em EMPRESÁRIO,  passarão a ser por sua própria conta e risco.

Alie a estes novos compromissos financeiros, a necessidade de você agir com  prudência quanto ao seu dinheiro. Nem tudo que sobrar no final do mês, descontando-se as entradas e as saídas, será lucro. Não esqueça, no mínimo,  dos compromissos tributários, que vencerão no mês seguinte e os pagamentos aos fornecedores (seu contador, por exemplo). Primeiro, calcule e separe as parcelas que couberem ao governo e aos terceiros, para só depois  pensar no que fazer com o lucro.

Bem, como você percebeu, ser EMPRESÁRIO exigirá de você muito mais do que o impulso e a vontade dos primeiros momentos, quando você se motivou para empreender.
Mais do que um Plano de Negócios, bem feito, consistente e de qualidade, ser EMPRESÁRIO, exigirá de você um PLANO DE MUDANÇAS do SEU EU,  por meio de uma profunda  transformação na sua forma de pensar, planejar e agir.

Arrisco-me mesmo a concluir  que a falta desta conscientização, por parte daqueles que se lançam no mundo do empreendedorismo, de que a mudança no pensar, planejar e agir, vital para o sucesso dos novos negócios,  é a responsável por grande parte dos seus fracassos.

 

Sérgio Lopes

Crédito foto: freedigitalphotos.net/stockimages

 

Informações do Autor

Sergiolopes

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *