Diário da TripMinas – Dia 2: Visita ao Parque Estadual do Ibitipoca

Ao final do dia 09 de agosto eu já tinha visitado a Cachoeira do Fundo, Cachoeira dos Garcias, admirado um pouco o Pico do Papagaio (veja o primeiro dia aqui), tudo na cidade de Aiuruoca e chegado à cidade de Lima Duarte, de onde, após parar no posto de informações turísticas e pegar algumas dicas, fui para o distrito de Conceição do Ibitipoca. Percorridos 25 km de estrada de terra e calçamento, razoavelmente bem conservados, cheguei ao distrito e com mais 3 km estava no camping Reserva Canto da Vida (muito bem estruturado, por sinal). Check-in realizado, banho tomado, fui descansar, pois no segundo dia eu iria caminhar quase 25 km pelo parque.

Às 7 horas da manhã do dia 10 de agosto já estava na portaria do parque (paguei o valor de R$ 10,00 a entrada nesse dia), pois minha programação previa passar um dia e meio conhecendo os atrativos do local. Em menos de 5 minutos de caminhada já estava no Circuito da Janela do Céu. Ao acessar o circuito por esse ponto já me deparei uma subida levemente acentuada em direção do Cruzeiro e logo depois a Gruta da Cruz. Continuando a caminhada, ainda subindo, cheguei ao Pico da Lombada, ponto mais alto de toda a Serra de Ibitipoca, com 1.784 metros de altitude.

Cachoeirinha
Cachoeirinha. Todas as imagens: Alex Wisnieski

Seguindo o circuito, cheguei até o as grutas dos Fugitivos, dos Três Arcos e dos Moreiras, todas próximas uma das outras, sendo a gruta dos Três Arcos e dos Moreiras as mais lindas. Logo depois das grutas, em um desvio à esquerda fica a Cachoeirinha, uma bela cachoeira com prainha encantadora e um pouco mais a frente estava a Janela do Céu, onde fiquei quase 1 hora fotografando e admirando o visual e a água límpida e dourada. Somente após deixar a Janela do Céu foi que encontrei as primeiras pessoas, além de mim, fazendo o circuito. Continuei a caminhada sentido ao Pico do Pião e Circuito das Águas.

Mesmo com um nevoeiro tomando conta da paisagem um pouco antes de chegar ao acesso do Pico do Pião não desanimei e continuei minha caminhada solitária – tinha companhia apenas do cantar dos pássaros – pelo parque. Um pouco a frente da junção dos circuitos da Janela de Céu e das Águas eu comecei a ouvir as primeiras vozes vindas dos atrativos próximos ao restaurante. Logo cheguei até na Prainha, de onde voltei e continuei em direção a Ponte de Pedra e mais a diante a belíssima Cachoeira dos Macacos. Já em direção ao restaurante passei pelo lagos dos Espelhos, das Miragens e Negro, chegando ao restaurante por volta das 14 horas. Tanto a região do Circuito das Águas quanto o restaurante estavam com um bom número de turistas, mesmo sendo uma quarta-feira. Como havia concluído os dois circuitos em menos de 8 horas, resolvi acelerar o passo para chegar rapidamente ao camping, tomar um belo banho e ir conhecer o centro de Conceição do Ibitipoca.

Resolvi ir a pé mesmo até o centrinho, tendo que caminhar cerca 20 minutos. Com era quarta-feira já em final de temporada havia poucas opções de restaurante abertas. Após um almoço/ café da tarde/ jantar e uma passada em lojas de artesanato e de vendas de produtos da região, eu retornei ao camping, aproveitei para conversar um pouco com Seu Francesco, um dos proprietários e planejar o dia seguinte. Continua…

Janela do Céu - topo
Topo da Janela do Céu

Sobre Parque Estadual do Ibitipoca

O Parque Estadual do Ibitipoca foi fundado em 1973 e é conhecido por ser o lugar com o maior número de grutas do Brasil (o que explica a origem de seu nome dado pelos índios tupi-guaranis, significando Casa de pedra), por suas trilhas, picos, cachoeiras, vegetação e riachos dourados, distribuídos num total de 1.488 hectares. É um dos parques mais bem estruturados do Brasil, com placas de sinalização, trilhas bem demarcadas, portaria, lanchonete, área de camping, centro de visitantes, vestiário e estacionamento. Além disso, para manter a preservação e um bom controle, a visitação é limitada em 1.200 pessoas por dia e a entrada é paga. Os principais atrativos do o Parque Estadual do Ibitipoca são suas belas cachoeiras, paredões e grutas. As trilhas são relativamente fáceis e atendem visitantes de todos os estilos, mas algumas possuem muitas subidas e descidas, o que as tornam muito cansativas..

Um pouco dos lugares visitados

  • Circuito Janela do Céu

São aproximadamente 16 km de caminhada, incluindo ida e volta, porém vale muito a pena por todos os lugares incríveis que você conhece. O principal atrativo do circuito é a Janela do Céu que é também um dos principais cartões postais do parque. Além dela, você também passará por lugares incríveis como: Cruzeiro, Gruta da Cruz, Pico da Lombada, Gruta dos Fugitivos, Gruta dos Três Arcos, Gruta dos Moreiras, Cachoeirinha, Rio Vermelho e a Janela do Céu. Caminhada de nível leve a médio, com exposição ao sol o tempo todo. Leva-se em média de 6 a 8 horas com paradas.

Janela do Céu - vista de frente
Janela do Céu vista de frente
  • Janela do Céu

É um dos locais mais interessantes e bonitos do parque. Trate-se de uma cachoeira de aproximadamente 20 metros, formada pelas águas do Rio Vermelho, que num espelho refletem e parecem encontrar o céu. Chega ao topo dela, mas é possível vê-la de frente.

  • Gruta dos Três Arcos

É uma das mais bonitas do parque e recebe este nome por possuir 3 entradas que formam belos arcos, sendo possível caminhar sem auxílio de lanternas, já que tem boa entrada de luz.

Gruta dos Três Arcos
Gruta dos Três Arcos
  • Circuito das Águas

É o mais tranquilo do parque e por isso é o mais popular dentre os visitantes. Você começa esse circuito no restaurante do parque, a partir de então é só caminhar em direção à Prainha e depois rumo a Ponte de Pedra. Ao todo, o circuito possui 7 km. As atrações neste circuito são: Gruta dos Coelhos, Prainha, Mirante da Ponte de Pedra, Ponte de Pedra, Cachoeira dos Macacos, Lago dos Espelhos, Lago das Miragens, Ducha, Lago Negro, Gruta dos Gnomos, Rio do Salto e outros. Caminhada de nível leve, com exposição ao sol o tempo todo. Leva-se em média de 3 a 4 horas, variando muito de acordo com tempo das paradas.

  • Lago das Miragens

Lago das Miragens
Lago das Miragens

O lago tem aproximadamente 20 metros de comprimento e em alguns pontos pode chegar a 2,5 metros de profundidade, sendo formado pelo Rio do Salto. Dependendo da posição o sol, espelhado pelas águas do lago, cria uma imagem luminosa no paredão. Ele é ideal para relaxar, mas também dá pra ter um pouquinho de adrenalina. Nele existem terá pontos para pular, beirando o paredão de pedra, podendo inclusive pular de cabeça sem problemas.

 

 

  • Cachoeira dos Macacos

Cachoeira dos Macacos
Cachoeira dos Macacos

Faz parte do conjunto de quedas formado pelo Rio do Salto. Tem em sua porção inferior uma curiosa rocha, um cubo quase perfeito, chamado Pedra Quadrada. A Cachoeira dos Macacos é a principal atração do Circuito das Águas. Apesar de não ser uma cachoeira muito grande, tendo apenas 5 metros de altura, é o melhor ponto para banho, pois você pode entrar embaixo da queda d’água com tranquilidade e ainda se banhar no seu poço, que dá pé em quase todos os pontos.

 

  • Lago dos Espelhos

Os que não curtem muita caminhada podem optar por este lago, que não fica a dever em nada pela beleza. O acesso é fácil, numa trilha de pouco mais de 500 metros. O lago está localizado próximo à área de camping.

 

Minha opinião:

O Parque Estadual do Ibitipoca é lindo, maravilhoso, todo muito bem sinalizado. É possível ficar tranquilamente o dia inteiro, com a família toda e aproveitar para caminhar, banhar-se nas águas geladas e transparentes dos rios que cortam o parque. A caminhada até a Janela do Céu vale a pena, sem deixar de visitar as grutas que são belíssimas.

Eu recomendaria ir conhecer o parque fora de temporada, principalmente no verão, pois o mesmo fica lotado e pode frustrar os que procuram um pouco de paz a tranquilidade. Apesar de o parque ser o principal atrativo turístico da cidade de Lima Duarte, um dos poucos pontos negativos é acesso até o distrito de Conceição do Ibitipoca que deixa a desejar em alguns pontos. O distrito oferece muitas opções de pousadas e campings.

Informações do Autor

Alex Wisnieski

Analista de Sistemas, turista, aventureiro, trekker/ hiker, ciclista, aficionado por natureza, viagens, esportes e agora colaborador do site Dom7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *