Faltam adjetivos suficientes para descrever Usain Bolt, o homem mais rápido do mundo. Bolt mostra ao mundo do esporte, que obstáculo nenhum é suficiente para parar quem busca seus objetivos.

Bolt compete nas pistas como uma caneta passeia sobre uma folha em branco, escrevendo milhares e milhares de poesias, como se o mundo parasse, e o destino colocasse os adversários em “Slow Motion” para contemplar todo o talento do jamaicano. Como se a cada passo ele escrevesse uma nova música, como se a cada vitória ele escrevesse uma nova canção…

Bolt faz de cada prova um ritual meticulosamente sagrado, misturando a paciência de um monge tibetano com a ferocidade de um leão da selva! No começo de cada prova, Bolt pede silêncio, como que pedindo para os obstáculos da vida se calarem, como se pedindo para o mundo ficar em silêncio… “Ouça as crianças chorando, ouça as crianças chorando”

Bolt não corre só por ele, Bolt corre por 2,715 milhões de corações jamaicanos, por cada sonho, por cada pensamento, dando passos largos rumo a eternidade. Bolt corre como uma canção de Bob Marley, “CANÇÕES DE REDENÇÃO, CANÇÕES DE REDENÇÃO!”

Bolt ultrapassa  os seus adversários, os próprios recordes, a lei da física, a sua última contusão, os seus quase 30 anos, a violência em seu país, o tempo… Usain Bolt é o verdadeiro anti-tempo!

Vida longa a Usain Bolt.

Imagem: Jamaica Experience

Informações do Autor

Rafyz Santos

Nascido em São Vicente-SP, apaixonado por futebol desde a infância. ''Formado'' em futebol no Campinho mais próximo da minha casa, e ''especialista'' em identificar vestígios do futebol-muleque!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *