Você já aprendeu a lidar com pessoas negativas?

Algumas pessoas são excepcionalmente desmotivadas e possuem uma tendência a supervalorizar os pontos negativos, transformando suas vidas em um amontoado de reclamações e esbravejamentos sem fundamento algum e consequentemente se convertendo em seres ranzinzas e enfadonhos, dignos de total desprezo e completa aversão de nossa parte. Isso suscita uma pergunta: e você, já sabe qual é a melhor forma de lidar com pessoas negativas?

Esses estultos, que envenenam as artérias da nossa alma e empobrecem o nosso estado de espírito, somente existem para procurar ou inventar erros sobre as outras pessoas, em uma espécie de “campeonato dos equívocos alheios”, onde são expostos os pontos fracos da outra parte, de modo a ridicularizar e depreciar as qualidades da mesma, transmudando os tais em seres de competência duvidosa. Em outras palavras, a meta desses vampiros emocionais não é crescer ou evoluir, e sim sugar a energia positiva dos seus vizinhos motivados, causando uma ação prejudicial a eles.

Portanto, esses nossos “companheiros” receberam a inacreditável missão de nos convencer de que não somos tão talentosos assim, e que por isso, devemos abaixar nossa autoestima, ocultando nossas cabeças como os avestruzes e assumindo o nosso papel de meros coadjuvantes no cenário em que estamos inseridos.

Características peculiares desses seres abomináveis

Os integrantes dessa corja bestial amam e praticam a mentira, a fofoca e principalmente, a inveja. Para executarem a primeira, eles usam uma máscara, tornando-se pessoas de duplo caráter, ou seja, quando a luz está acesa eles tem um tipo de comportamento, já quando ela se apaga, eles sofrem metamorfose. Desta maneira, eles são bipolares e, portanto, nada confiáveis. Para colocarem em prática a segunda, eles se aproximam de nós com uma única intensão: falar mal dos outros. Desta forma, eles buscam apontar os pontos negativos das outras pessoas, procurando queimar o filme delas através da magia luciferiana de suas línguas, nos fazendo enxerga-las como criaturas medíocres e fétidas (dignas de total desdém de nossa parte). E para praticarem a terceira e última, eles sofrem um surto psicótico de ódio e rancor por observarem as nossas conquistas, lutando com todas as forças para destruir nossas preciosidades (que eles não puderam possuir).

Uma outra postura marcante dessas pessoas é a seguinte: quando externamos para elas algo de bom que ocorreu em nossas vidas, elas automaticamente buscam desvalorizar tal conquista, objetivando diminuir o grau de importância dessa variável para nós. Funciona mais ou menos assim: vamos supor que um colaborador se destaque em uma empresa e seja promovido, obtendo um cargo maior e recebendo um aporte financeiro superior por isso. Obviamente, esse negativista irá sentir cobiça e recalque, buscando convencer esse colaborador de que ele somente recebeu essa oportunidade porque o salário não é tão atrativo, ou, que a empresa deveria ter tomado essa decisão à mais tempo, pois, já era algo merecido por conta do comprometimento exercido por ele. Enfim, ele buscará reduzir seu raio de felicidade através da negativação de suas vitórias, sejam elas quais forem.

Além disso, eles aumentam a força dos nossos problemas, procurando inseri-los em nossas mentes e otimizar o poder que eles possuem, nos fazendo acreditar que eles realmente são maiores do que parecem ser. Por isso, Miguel de Cervantes sabiamente disse: “A inveja vê sempre tudo com lentes de aumento que transformam pequenas coisas em grandiosas, anões em gigantes, indícios em certezas.” Sendo assim, devemos olvidar o que eles dizem, pois assim fazendo, estaremos nos blindando dessa contaminação, voltando nossos olhos sempre na direção da luz, para que as trevas não nos alcancem.

Esses hipócritas: verdadeiros propagadores de engodos e criadores de incontáveis fantasias trevosas, molham seus pincéis no lago negro da morte, materializando as nossas derrotas e elaborando cenários onde inexistem finais felizes, extirpando a esperança de nossos corações e nos transformando em máquinas frias e sem brilho no olhar, como se fôssemos predestinados a morrer sem realizar os nossos objetivos, ou seja, é como se tivéssemos nascido apenas para a ruína.

Portanto, eles não merecem o nosso crédito, pois, não passam de criaturas medíocres, estúpidas e desprovidas de qualquer tipo de honra, haja vista, que se preocupam muito mais em destruir os outros do que em construir uma vida digna e virtuosa, entregando para o mundo paz, felicidade e contentamento. Sem dúvidas, eles continuarão do lado do mal e, portanto, sempre perturbarão aqueles que são luz, tornando o nosso universo uma esfera brutal, onde aqueles que deveriam se unir em busca de um planeta pacífico e unido, simplesmente se regozijam em promover guerras, objetivando destruir a harmonia e a concórdia através de suas atitudes demoníacas.

A importância do pensamento positivo para o sucesso de uma pessoa

Alcançar o sucesso é o grande objetivo de todas as pessoas que existem nesse nosso competitivo planeta, todavia, para que alguém alcance o topo, é necessário ultrapassar uma série de barreiras que fazem com que a maioria dessas criaturas desistam de seus sonhos, por conta de perceberem o quão difícil é gerenciar os problemas que existem em suas vidas.

Deste modo, nossa vida é um grande enigma, cabendo a nós decifra-lo para encontrarmos o tesouro escondido. Assim, podemos facilmente concluir que é a nossa capacidade de enfrentar os nossos problemas que definirá se seremos meros coadjuvantes, ou, se estrelaremos o papel principal. Benjamin Franklin disse que: “Viver é enfrentar um problema atrás do outro. O modo como você o encara é que faz a diferença.”

Existe uma atitude ímpar para que essas adversidades sejam minimizadas e percam um pouco de suas forças, por conta de nossa postura de campeão. Obviamente, eu estou falando do otimismo.

Você deve sorrir para os seus problemas, pois assim procedendo, estará eliminando os pensamentos negativos que farão com que seu estado mental seja afetado, ou seja, um dos desafios dessa questão é exatamente não deixar que as complicações rotineiras perturbe sua paz interior e principalmente, sua felicidade.

Logo, a partir do momento em que aceitamos as catástrofes de nossa existência e passamos a olha-las como um desafio a ser vencido, teremos boas probabilidades de êxito, tendo em vista, que ter esperança de que as coisas irão melhorar é a única e melhor saída para fugirmos desse labirinto sombrio e apanharmos novamente a luz (que nos foi tomada).

Como resolver um problema

Aproveitando para ser propositalmente redundante, quero exteriorizar que não devemos nos preocupar com as calamidades que nos chegam, buscando esquecer e manter nossa motivação, após isso, devemos voltar todo o nosso intelecto e força na busca incessante da resolução deste problema, mantendo sempre a esperança de que as coisas irão melhorar no futuro. Sob uma outra perspectiva, devemos entender que ficar se martirizando por conta dos reveses que nos alcançam é matar nossa alma e causar transtornos angustiosos que somente farão com que nossa energia seja consumida, destarte, devemos chalacear para os problemas e enfrenta-los, de cabeça erguida, pois, esse é o melhor método existente para superá-los.

É importante também resolvermos uma coisa de cada vez, de forma gradual. O que quero dizer é o seguinte: você não ganhará o mundo inteiro em uma semana, ou seja, é somente através da organização e da disciplina que poderemos eliminar os nossos problemas, que demandarão tempo e muito entusiasmo de nossa parte.

Com certeza, algumas adversidades são difíceis de serem apagadas, por isso René Descartes disse: “Não existem métodos fáceis para resolver problemas difíceis.” Assim posto, precisamos ter consciência de que as dificuldades fazem parte de nossa existência e que nem sempre as coisas ocorrerão de acordo com o planejado, ou seja, por inúmeras vezes, construiremos castelos que serão pisados pelas malignidades que aqui se encontram, cabendo a nós tentar reconstruí-los.

Portanto, inexistem cenários catastróficos se acreditarmos que podemos enfrentar e eliminar tais complexidades.

Conclusão

Infelizmente, vivemos em mundo comparável a um jardim de ervas daninhas, onde as pessoas tentam nos tripudiar a todo o tempo, tentando retirar o nosso orgulho, a nossa honra, a nossa decência, e principalmente, a nossa felicidade.  Assim, vivemos cercados de inimigos, que buscam nos destronar e nos tornar seres melancólicos, entristecidos e dotados de um mau humor sempar, nos transformando em criaturas totalmente desalmadas. Logo, é mais do que uma obrigação nossa, manter a positividade no decorrer de nossa caminhada.

Vale lembrar que algumas pessoas antecipam infortúnios e eventos improváveis, trazendo para dentro de suas casas um desespero psicótico criado por suas mentes doentias e impulsionado por seus pensamentos autodestrutivos causados pela pequenez de suas respectivas autoestimas.

Desta maneira, é fundamental que tenhamos uma confiança resoluta em nossas potencialidades, fazendo de nossa autoconfiança a nossa principal âncora diante dos nossos cenários cotidianos. Destarte, devemos criar objetivos e desafios a cumprirmos, de modo que consigamos acreditar em nossas habilidades, fazendo de nossas ações, atos de determinação constante e total comprometimento de nossa parte.

Na mecânica quântica, aprendemos que todo pensamento que enviamos (tanto negativo quanto positivo) volta para nós, na mesma proporção. Assim sendo, o reflexo causado por nossas atitudes tem o poder de construir ou destruir nossos objetivos, nos tornando reféns de nossas próprias escolhas.

Raciocinando por analogia, basta substituirmos nossos pensamentos negativos por pensamentos positivos, criando um comportamento otimista e agindo de forma esperançosa diante dos eventuais problemas que nos chegam. Sem dúvidas, nós somos os nossos melhores ativos, e, portanto, devemos acreditar em nosso sucesso e em nossas competências, para que assim, possamos ser seres mais conscientes, evoluídos e poderosos.

Crédito foto: freedigitalphotos.net/pakorn

Informações do Autor

Pablo de Paula Bravin

Ainda sem descrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *