Finger Food: o que é e como montar as melhores receitas

Em tradução livre, Finger Food são comidas que podem ser comidas “com os dedos” (finger = dedo, em inglês). Ou seja, o conceito surgiu para denominar algo que você já conhece: aquelas comidas em pequenas porções, como petiscos e canapés, que geralmente se come com as mãos e dispensa a necessidade de talheres.

Perfeitos para festas, casamentos e reuniões, possuem centenas de combinações diferentes. Se você quiser começar a descobrir novos sabores, pode montar as suas próprias receitas. As sugestões a seguir podem te ajudar a dar seus primeiros passos!

 

A estrutura do Finger Food

Base

A “parte de baixo” do seu petisco ou canapé é a parte que o convidado segura e, portanto, precisa ser “sequinha”. Boas opções são pães cortados, bases industrializadas, feitas com vegetais, frutas secas, wrappers, papéis de arroz, tortilhas de milho, etc. Em doces, por exemplo, pode-se utilizar bolos secos ou brownies.

 

Creme

Como o nome já diz, essa é a sua função: dar umidade e proteção à base. Geralmente, é o ingrediente que vai diretamente sobre ela, para evitar que o recheio fique “dançando” ou que os convidados tenham dificuldade para manter o petisco nas mãos. Você pode optar por diferentes misturas e tipos de maionese e derivados, manteigas compostas, queijos cremosos, misturas de ervas (como hummus ou tahine), creme de confeiteiro ou chocolate, compotas, geleias, vinagretes, etc.

 

Recheio

É o sabor principal da sua Finger Food. Ele pode ser único ou uma combinação de diversos ingredientes. Nesse caso, está tudo liberado: alimentos frios ou quentes, grandes ou pequenos; o importante é respeitar sempre este ingrediente na hora de definir os outros componentes, já que ele é o astro da festa. Entre os possíveis recheios, podes escolher carnes fatiadas como rosbifes ou salames; brigadeiro, biscoito ou chocolate; frutas; queijos fatiados (ou combinações como queijo e goiabada); vegetais grelhados, hambúrgueres, peixes ou aves, ou ainda diversos tipos de saladas.

 

Decoração

Para finalizar, não adianta criar uma combinação saborosa se a aparência do prato não atrai o olhar. Por isso, na hora de decorar, não deixe de lado a harmonização dos sabores, mas aposte em uma bonita combinação de cores, ou alimentos com boa aparência: pode-se color um raminho de salsinha, hortelã ou manjericão, por exemplo, ou ainda uma cereja ou pequeno pedaço de morango nos doces.

 

Imagem: FabrizioCornalba

Informações do Autor

Bruna Borgheti

Jornalista formada pelo Bom Jesus/Ielusc, de Joinville-SC, é acadêmica do curso de Letras da UniCesumar. À frente da redação das publicações do Grupo Dom7, faz a edição e curadoria de conteúdo do site e já teve suas aventuras pelo mundo corporativo, mas gosta mesmo é de um documento de Word em branco.
Tem sugestões pra dar? É ela que você está procurando. Entre em contato pelo [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *